clube   |   doar   |   idiomas
Eis as medidas já adotadas que irão ajudar a economia brasileira no longo prazo
Desburocratizações, desestatizações e maior liberdade de iniciativa: há, sim, o que ser comemorado

É fato que muita gente pensou que o governo Bolsonaro seria talvez uma reencarnação do governo Ronald Reagan: além de um anticomunista, traria significativas reduções nos impostos — além das reduções dos impostos corporativo e de pessoa física, o Republicano aumentou as faixas de isenção —, assim como desregulamentações no setor energético, setor de ônibus interestadual, telefônico e frete marítimo. 

Talvez um governo com um ministro da Economia como era o Donald Regan (um aberto defensor de moeda forte e que falava que isso era "interesse dos Estados Unidos"), e com a presença de um presidente durão no Banco Central, como era Paul Volcker, um cara que não estava muito preocupado com as críticas da imprensa (só a cara dele séria, sempre com um charuto à boca, já era um forte recado). 

O próprio Reagan também defendia um dólar forte (assim como Volcker) e, em campanha presidencial, falou que queria restaurar o padrão-ouro

Isso, infelizmente, não tivemos e dificilmente teremos nesse atual governo brasileiro, ainda que pelo menos Jair Bolsonaro possua como semelhança uma linguagem mais próxima de seu eleitorado, que é o "brasileiro médio" (peço desculpas pelo apelo algo coletivista), cristão e que quer simplesmente trabalhar e melhorar a sua vida e a de sua família (e fazer churrasco no fim de semana). 

Não é por acaso que ele continua atraindo apoiadores por onde ele passeia, não obstante todos os ataques feitos pela oposição.

Este Instituto já deixou claras, repetidas vezes, suas críticas à política monetária e fiscal implantadas durante os anos Bolsonaro, mais especificamente durante a pandemia de Covid-19. Elas não precisam ser repetidas (muito embora a questão monetária já esteja praticamente equacionada, por ora). Por isso, neste artigo deixaremos este tema de lado.

O objetivo aqui será o de traçar algumas coisas feitas nesse governo (algumas iniciadas no governo Temer) que merecem elogios. 

Vamos a elas.

1) Crédito

Nem todo endividamento é ruim. Você pode se endividar para buscar algum objetivo futuro que aumente o seu bem-estar: alguma formação acadêmica para seguir alguma profissão, abrir um negócio, adquirir novo maquinário para sua indústria, expandir seus empreendimentos, entre outras coisas. 

Uma das grandes máculas do governo petista foi a estatização do crédito, quando a maior parte dos empréstimos concedidos na economia brasileira passou a ser fornecida por bancos estatais, os quais seguiam critérios meramente políticos e os quais beneficiavam principalmente empresas com grandes conexões políticas.

O fato de o crédito ter passado a ser alocado segundo critérios políticos, e não de mercado, culminou no consumismo e no endividamento insustentáveis. 

Os juros desses bancos, por serem subsidiados por dinheiro de impostos repasso pelo Tesouro, não eram afetados pela taxa básica de juros (a SELIC). Essa é uma das explicações de o IPCA brasileiro ter ficado tão alto nos anos Lula, apesar de o real ter ficado mundialmente forte.

Todavia, isso acabou.

cre´ditos.png

Gráfico 1: Crédito fornecido por instituições estatais (linha vermelha) e crédito fornecido por instituições privadas (linha azul), julho de 1994 a junho de 2021. Imagem criada pelo Sistema Gerenciador de Séries Temporais, do Banco Central do Brasil.

Como é possível visualizar acima, pela primeira vez desde maio de 2013, o crédito passou a ser fornecido majoritariamente pelo setor privado. Tal reversão se deu após abril de 2019. 

O crédito estatal seguiu em contração constante (a qual iniciou a partir de janeiro de 2016), até que ele voltou a subir nesse início de 2020, quando passou a sofrer a influência de programas como o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) —  criado para ajudar empresas durante os lockdowns —, além de crédito imobiliário e rural. 

O Pronampe tornou-se, entretanto, um programa permanente, sob a lei nº 14.161, de 2 de junho de 2021. Apesar das dúvidas quanto ao futuro desse programa, só o fato de o crédito estar sendo fornecido de maneira majoritariamente privada já irá mudar bastante coisa sobre o crescimento econômico.

2) "Microprivatizações"

Em decisão lamentável, o Supremo Tribunal Federal estipulou que, para se privatizar estatais de controle federal, o governo precisa de autorização do Congresso. 

Basta dizer que, do governo Collor ao governo FHC, foram privatizadas 27 estatais (bancos estaduais como o Banespa tiveram de ter ajuda do governo federal para serem privatizados). Houvesse nessa época esse obstáculo do Congresso, provavelmente o Brasil ainda estaria com linhas telefônicas tendo de ser declaradas no imposto de renda. 

Mesmo com essas vendas na década de 1990, ainda há mais de 100 estatais (apenas contando em nível federal). 

Consequentemente, se já era difícil e demorado realizar a privatização de uma estatal federal, agora ficou ainda mais desafiador. 

Então, não é por acaso que privatizações como as da Eletrobras acabem recebendo vários "jabutis" quando passam no Congresso (e ainda assim recebem ações de partidos de esquerda). 

Os Correios também devem passar pelo mesmo desafio (embora o projeto parece ter passado melhor do que o da Eletrobras). 

Entretanto, apesar disso, as subsidiárias puderam ser vendidas sem aval do Congresso. Por consequência, o que pôde ser vendido foi. 

Eis a lista de alguns exemplos:

(a) A BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras criada há 50 anos (nasceu no ano em que acabaria o acordo de Bretton Woods), já vendeu toda a sua fatia para o setor privado. Vai mudar até de nome

(b) A Vale S.A. não tem mais nenhuma ação em posse do BNDES. Totalmente fora do estado (ao menos em tese). Uma curiosidade: estamos voltando à era dos altos preços do minério de ferro.

(c) A Petrobras, felizmente, pode vender as suas subsidiárias e refinarias. Um dos problemas brasileiros é que, já que a Petrobras detém grande parte das refinarias de petróleo no país, isso se torna um monopólio de facto, já que é muito arriscado concorrer com uma estatal que pode operar com prejuízos e preços controlados. 

Se os americanos já estão reclamando dos preços dos derivados de petróleo, por aqui a situação é ainda mais desesperadora, já que o setor continua extremamente regulado pelas terras brasileiras (atualmente há pretensão da ANP fazer uma pequenina desregulação no setor). 

Diante disso tudo, a estatal do petróleo pelo menos pôde continuar as suas vendas. Desde o início do governo Bolsonaro, o número de refinarias da Petrobras já vendidas é tão grande que é difícil até saber contar quantas foram. Em Alagoas, foram vendidas sete de suas unidades. Além disso, há a pretensão de ceder ao setor privado refinarias nos estados do Rio Grande do Sul, Amazonas, Pernambuco, Minas Gerais, Ceará e Paraná. 

Um dos objetivos do ministro Bento Albuquerque é incentivar a concorrência no setor de refino do óleo negro.

(d) Sob o decreto nº 6.638, do dia 7 de novembro de 2008, Lula criaria o chamada Centro Nacional de Tecnologia Eletrônica Avançada S.A., a CEITEC. No fim do ano passado, porém, foi criado um outro decreto (decreto nº 10.578, de 15 de dezembro de 2020), que irá tratar de simplesmente liquidar a empresa, ou seja, ela será extinta. 

Em seu próprio site, já consta "Em liquidação"

Apesar de alguma histeria em torno disso (já que há quem tente falar que isso irá piorar a escassez global de chips, algo sem relação direta; ver este artigo para mais detalhes), o fato é que isso foi mais uma vitória do governo. Menos recursos dos pagadores de impostos sendo gastos.

(e) O Ministério da Infraestrutura é, de longe, o que mais tem atuado para diminuir a fatia estatal no setor de... infraestrutura (a oposição não consegue achar nada para criticar o ministro Tarcísio Gomes de Freitas). 

Embora não exista um ministério totalmente técnico, o Minfra é de longe o mais técnico deles. Sete terminais pesqueiros devem ser concedidos ao setor privado (sim, há terminais pesqueiros geridos pelo estado, e você imagina como devem ser). Com efeito, esses terminais estão sob o Ministério da Agricultura, mas eles não estão muito longe do que podemos definir como infraestrutura. 

Há na lista de novas concessões os terminais no Porto de Santos (além da Companhia de Docas do Espírito Santo, CODESA), além de projetos como a Ferrogrão (cujos estudos começaram ainda em 2017), que irão reduzir custos logísticos para os setores agropecuário da região Centro-Oeste (neste caso será uma concessão de 69 anos) — afinal ter que rodar mais de 2000 quilômetros com caminhões para escoar a produção para portos como o de Santos é um desperdício de recursos escassos e de mão de obra. 

Ademais, em apenas 6 meses, o Marco Legal das Ferrovias já atraiu R$ 240 bilhões em investimentos privados. E há contratos já firmados para a construção de 9 ferrovias pela iniciativa privada. É a primeira vez em 100 (cem) anos que isto ocorre.

Obviamente, o modelo de concessões (que é o que está sendo feito) é imperfeito e muitas vezes é problemático (veja aqui um artigo sobre infraestrutura; este outro aborda sobre concessões), mas já é bastante melhor do que deixar esses setores sob controle absoluto do estado. 

O Marco das Ferrovias, em suma, trará uma melhora significativa no setor ferroviário.

(f) O governo federal passou a disponibilizar vários de seus imóveis à venda. Inclusive você pode ir ao site e adquirir um dos milhares de ativos da União (não estou brincando). 

Imóveis como o Palácio Capanema foram colocados à venda., mas uma juíza federal barrou.

Apesar das reclamações de alguns, isso já é mais uma forma de o governo reduzir suas despesas, conseguir receitas e abater dívida. Fosse o Museu Nacional privatizado, dificilmente teríamos aquele desastre vergonhoso.

3) Funcionalismo e alguma digitalização

Jair Bolsonaro não demitiu funcionários públicos, não reduziu salários do governo federal, e não fechou agências reguladoras. E, apesar da fusão de alguns ministérios, outros devem ser recriados (além do das Comunicações, há pretensão de se recriar o do Trabalho). 

Em contraste, por exemplo, o presidente do México, o esquerdista Lopez Obrador, fechou dez ministérios, reduziu benefícios para seus funcionários (e o próprio salário), além de ter cortado despesas com agências reguladoras e ter feito de tudo para não deixar o déficit explodir mesmo em um ano de pandemia e lockdowns (tanto é que o país ainda continua com grau de investimento).

Para ser justo com Bolsonaro, entretanto, há barreiras constitucionais para se fazer algumas dessas medidas de austeridade. O chamado "direito adquirido" é algo que existe por aqui desde a época colonial.

Com tudo isso, o que foi feito? Simples: a contratação de pessoal foi diminuída, trazendo um número menor de novos funcionários federais. 

Entre 2015 e 2020, houve uma economia de R$ 20 bilhões apenas com essa medida. A taxa de reposição passou a cair no governo Temer, tendo se intensificado no atual governo. 

Uma das estratégias é que, caso a reforma administrativa  seja aprovada, Bolsonaro volte a contratar mais pessoas para o funcionalismo. Assim, essas novas pessoas (que serão as atingidas pela reforma, não os funcionários atuais) já entrarão sabendo de que terão privilégios diminuídos. A reforma em si também deve atingir funcionários entrantes das esferas estadual e municipal. 

Mesmo que ela não passe, só essa diminuição na reposição trará bons resultados para o longo prazo, desde que os sucessores continuem. Além disso, o trabalho remoto do funcionalismo federal gerou uma redução de despesas na ordem de R$ 1,4 bilhão.

E, pela primeira vez em uma década, o gasto geral com funcionalismo caiu.

Iniciada ainda no governo Temer, o governo federal tem digitalizado vários serviços, envolvendo documentos, entre outras coisas. A Carteira de Trabalho (conhecida formalmente como Carteira de Trabalho e Previdência Social) também pode ser obtida de maneira digital e, assim, substitui o documento físico (o que ocorreu graças à Lei de Liberdade Econômica). 

Assim, caso você perca o documento físico e queira outro, não mais terá de passar por todo aquele incompreensível e enervante processo burocrático. 

Óbvio, os serviços governamentais não possuem qualidade perfeita, mas o conceito em si, além de gerar redução de despesas do próprio governo, ainda torna a vida do cidadão no Brasil (um pouco) menos difícil.

4) Bolsonomics

Esse termo foi referenciado primeiramente por um artigo de novembro de 2018, fazendo uma breve referência ao chamado "Reagonomics", termo que se refere às políticas econômicas aplicadas no governo Ronald Reagan, os quais envolveram cortes de impostos, desregulações e uma moeda forte. 

Parte dessas políticas é relacionada à teoria supply-side ("do lado da oferta" em inglês): conforme o termo, essa escola defende que uma economia crescerá com medidas que aumentem a oferta de bens e serviços (a conhecida Curva de Laffer também está dentro da teoria). Não é como a teoria da Escola Austríaca, já que os supply-siders defendem ainda a existência de um Banco Central (ainda que a política monetária defendida por eles seja diferente da que existe hoje em grande parte do mundo), mas eles estão próximos.

Dentro do governo Bolsonaro, também tivemos alguns desses elementos. Ainda que tímidos, eles trarão bons resultados no longo prazo, ao menos se até lá não revogarem essas medidas. 

Entre esses elementos:

(a) Lei do Gás (decreto nº 10.712, de 2 de junho de 2021) 

Já valendo, essa lei acaba com bizarrices regulatórias e troca o regime de concessão pelo de autorização. Ou seja, aqueles problemas de concessões abordados anteriormente não existirão para novos ofertantes no mercado de gás natural. 

O objetivo é promover uma abertura de mercado no segmento, que hoje é também dominado pela Petrobras. 

Graças a isso, acabamos que dependendo mais de importações do insumo. Certamente é bom para os bolivianos e os americanos (os maiores exportadores do gás para o Brasil), já que eles podem continuar exportando para cá, só que agora irão enfrentar mais empreendimentos aqui. 

Há quem diga que isso irá reduzir também o preço do gás de cozinha. Pode até ser, mas de maneira direta não, afinal, grande parte do gás de cozinha disponível aqui no País vem do chamado gás liquefeito de petróleo (GLP). 

De todo modo, já é uma vitória. Como não fazemos igual aos americanos (onde uma parte considerável da energia utilizada em residências é de gás encanado, gás natural), então o desafio é atacar a burocracia no setor de petróleo e derivados, assim como a desvalorização cambial, para reduzir o preço do botijão de gás. 

(b) Ambiente de negócios

Além da Lei de Liberdade Econômica, ainda há a chamada medida provisória nº 1.040, de 29 de março de 2021, já sancionada. Esta MP fez várias mudanças na legislação a fim de eliminar exigências e simplificar a abertura e o funcionamento de empresas, buscando melhorar o chamado "ambiente de negócios".

Uma emenda para revogar os salários mínimos de categorias profissionais (na prática acabando com barreiras impostas por "guildas" a novos profissionais dessas categorias) chegou a ser apresentada, extinguindo uma lei da época em que o Marechal Castello Branco ainda era presidente. Entretanto, infelizmente, foi impugnada no Senado

De qualquer forma, o objetivo da lei em si é fazer o Brasil subir 20 posições no chamado ranking Doing Business (do Banco Mundial), o que em tese faria o País subir da 124 ª para a 104 ª posição (ou 106 ª posição) entre 190 economias. Melhora pequena, mas que não deve ser ignorada. 

Há ainda uma pretensão de apresentar uma nova medida provisória para melhorar ainda mais o ambiente para empreendedores no Brasil. O Balcão Único já está em vigor, o que unificou várias das etapas burocráticas em apenas um site, embora nesse caso ainda não esteja em todos municípios. 

O que já se sabe é que o Brasil quebrou um recorde ao registrar 4 milhões de empresas abertas em 2021. E com um detalhe: o tempo médio de abertura de empresas caiu para apenas 2 dias, sendo que 57% dos novos negócios são abertos em menos de 1 dia.

Para se colocar em perspectiva, em 2012 você demorava 119 dias para abrir uma empresa.

Bolsonaro também criou uma MP autorizando os produtores e importadores de etanol a venderem diretamente aos postos, sem precisar vender para distribuidores (sim, isso mesmo). 

Por fim, o Senado aprovou um projeto de lei complementar que aumenta o limite de faturamento dos MEIs de R$ 81 mil para R$ 130 mil (só falta ser aprovado na Câmara). Qualquer pequena vitória é válida.

(c) Saneamento básico 

O Brasil é o país onde há mais habitantes com acesso à planos de telefonia celular do que a coisas como canos enterrados. Essa bizarrice mostra um contraste: enquanto o setor de saneamento é praticamente estatizado por quase todo o país (apesar de haver aproximadamente cinquenta agências reguladoras no setor), o setor de telefonia móvel, ainda que severamente regulado, ao menos consegue ter algum setor privado respirando. 

Para tentar consertar essa absurdidade, a chamada Lei de Saneamento Básico (lei nº 14.026, de 15 de julho de 2020) foi aprovada no Congresso no ano passado, tendo sido convertida em lei posteriormente. Como dito, concessões não são o ideal, mas isso já vai fazer uma diferença considerável  para os próximos anos (só o fato de partidos de esquerda terem tentado barrar o projeto já foi um bom sinal).

Com efeito, os leilões de saneamento já chegaram aos pequenos municípios e podem movimentar R$ 22 bilhões em investimentos privados.

(d) Aviões e navios 

Embora o governo não tenha feito como Jimmy Carter, que aboliu a agência reguladora de aeronaves e aberto totalmente o setor aéreo (sim, foi Carter), Bolsonaro lançou o chamado programa "Voo Simples", de princípio atingindo os profissionais do ramo. 

Nem todas as ações ainda foram concluídas, mas entre elas, temos a simplificação para fabricação, registro e importação de aeronaves, aceitação de certificação de médicos estrangeiros (antes não era aceito), além de digitalização de documentos. São coisas pequenas, mas que já trazem um benefício significativo. 

Outra iniciativa bastante interessante é o chamado BR do Mar (PL 4199/2020), que visa a incentivar a chamada cabotagem, que é o transporte de mercadorias por navios ao longo do litoral (algo que o Brasil tem de sobra). Já foi sancionado

Isso certamente trará melhoras cruciais para o transporte brasileiro, afinal pelo menos o mar (e o rio) não sofre dos problemas crônicos brasileiros e que encarecem o transporte rodoviário, entre eles: lombadas, buracos, valetas, remendos mal-feitos e ladrões (a não ser que surjam piratas).

(e) Direito de propriedade

Produtores rurais de todos os tipos podem comemorar: as invasões do MST, que aterrorizavam vários proprietários, despencaram. Mas não apenas foi nesse quesito. A Câmara dos Deputados aprovou um projeto de regularização fundiária, a qual irá permitir que pessoas que ocupavam terras desocupadas da União agora possam estar fora da ilegalidade, assim podendo fazer coisas como ter um endereço, obter crédito e expandir o próprio negócio (eis uma explicação boa sobre). 

O potencial gerador de riqueza de tal medida não pode ser subestimado.

Para concluir

O governo Bolsonaro, apesar de suas várias falhas na política econômica, tem certas virtudes que não podem ser menosprezadas de forma alguma: afinal, há vários grupos de interesse que irão fazer de tudo para atrapalhar eventuais reformas que tragam uma maior liberdade econômica. 

A reforma tributária é uma ideia boa e necessária (e bastante antiga também), todavia a reforma atual mais parece um remendo, e a ideia de criar impostos sobre dividendos é insensata, especialmente em um país com noventa e dois impostos diferentes e com o sistema tributário mais complexo do mundo. 

Sendo ele reeleito ou não, que não parem com as reformas. Afinal, o Brasil é um país que, desde sua fundação, nunca experimentou algum período de liberalismo econômico. Os súditos merecem ser bem tratados.


autor

Felipe Lange

é autodidata em economia e estuda Ciências Biológicas no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas-Campus Muzambinho.


  • Alecsandro  23/02/2022 18:52
    *PEC da previdência no primeiro ano de governo.

    *PEC da liberdade econômica, entre outras coisas, dispensando alvarás pra pequenos comércios.

    *Auxílio emprego em 2020, para empresas não demitirem durante o auge dos fechamentos ''democráticos'' promovidos pelo judiciário.

    * Privatizações da BRDistribuidora e Liquigas.

    *Vendas de refinarias, como a de Curitiba e de Camaçari.

    E isso com oposição cerrada dos outros 2 poderes com o beneplácito da mídia ''mainstream'', em proporções históricas...

    É fato que o governo ''Bozo'' tem muitas falhas, a depreciação do BRL talvez a maior delas, ano passado... mas essa correção de rumo está em andamento, como estamos vendo agora... E o ''fascista'', comparado com as outras opções, é a única via de defesa das liberdades civis, só pegar esse exemplo.

    O ''Bozo'' é o único nome a contestar frontalmente instituições como a urna inauditável da década de 90, que só o Brasil e outras 2 republiquetas mundo afora ainda usam... ninguém da OCDE aceita hoje chegar perto desse tipo de urna, pois levam suas democracias a sério.

    Que o Brasil se endireite e desestatize mais nesse outubro de 22.
  • Vladimir  23/02/2022 18:56
    Excelente compêndio. E é importante também ressaltar a questão das liberdades civis.

    O Bozo:

    * Aboliu radares das rodovias federais — mas o Supremo revogou a medida.

    * Aboliu o DPVAT — mas o Congresso revogou a medida

    * Acabou com a multa para quem não tem cadeirinha de criança no carro — mas o STF revogou.

    * Acabou com a obrigatoriedade de empresas publicarem seus balanços em jornais de papel (algo caríssimo e que ninguém lê, pois pode ser consultado de graça na Internet) — mas o Congresso revogou a medida.

    * Zerou tarifas de importação. Mas o STF revogou a medida.

    * Posicionou-se contra o lockdown. Mas o STF proibiu seu posicionamento, e disse que apenas estados e municípios podem implantar políticas relativas à pandemia.

    * Facilitou a posse de armas para civis, como bem ressaltado no artigo — ainda longe do ideal, mas um passo definitivo na direção correta (esta medida milagrosamente ainda se mantém; aproveitem).

    * Foi contra o congelamento do preço da carne no fim de 2019, quando toda a imprensa era a favor — como consequência, nunca houve nenhum risco de desabastecimento mesmo em plena pandemia (desabastecimento esse que seria uma certeza caso tivesse havido congelamento, pois aí nem haveria mais oferta de boi).

    * Reduziu drasticamente o repasse de dinheiro público para a imprensa via propagandas oficiais — jornalistas jamais perdoaram e por isso seguem dinamitando seu governo.

    * Foi abertamente contra proibir o povo de trabalhar e se manifestou verbalmente contra os autoritarismos de governadores, que saíram prendendo feirantes (e confiscando seus alimentos), donos de barbearia e até mesmo mulheres e crianças nadando na praia. A imprensa aplaudiu o autoritarismo.

    * Permite que o Ministério da Economia faça privatizações — mas o STF bloqueou a medida, dizendo que o Congresso é quem tem que autorizar.

    * Nunca defendeu qualquer medida que atente contra a propriedade privada.

    Não me lembro de uma única medida sua que tenha ido contra as liberdades individuais. Não me lembro de vê-lo defender abertamente uma única medida que tenha aumentado a intromissão do estado na vida dos brasileiros.

    Exatamente por isso a imprensa e a elite intelectual e artística o despreza, mas o povão, mesmo em meio a este colapso econômico causado por políticos, simpatiza com ele.

    Se alguém souber de um político com um currículo melhor dando sopa (não quero saber de político bom de discurso; quero ver político com currículo de feitos), favor avisar.

    Peço também aos moristas (e olha que eu não tenho nada contra o Moro; ao contrário, simpatizo) que apresentem sua lista. O que eu sei dele é que foi favorável ao lockdown e à polícia descer o cacete em ambulantes, mulheres e crianças na praia.
  • Czech  24/02/2022 03:33
    Tudo esse suposto perfil liberal do Bozzonaro irá por água abaixo.

    Centrão e a parte podre do STF sabem do teto de vidro da família Bolsonaro. Foi por isso que ele se vendeu para o Centrão, ante o recorde das emendas parlamentares, para não sofrer Impeachment.

    Bolsonaro, através do Aras, simpatizante de petista, acabou com a LavaJato por dentro do próprio MPF e sancionou leis que diminuem o combate à corrupção.

    Será essa mesma corrupção [a do colarinho-branco] que irá corroer qualquer ganho econômico que tivermos adiante.

    Infelizmente brasileiro não aprende que a Moral dever vir antes da Economia.
  • 4lex5andro  24/02/2022 13:13
    Os dois lados são importantes.
    E justamente se refreando o Estado de pesar mais no bolso do cidadão, que se promove sua liberdade.
    Portanto, se liberdade, não só traduzida em reais, mas também como ideal a ser defendido, não for uma qualidade moral, então o mundo já acabou de fato.

    Que o Brasil se endireite e desestatize mais em outubro.
  • Czech  04/03/2022 03:36
    "se refreando o Estado de pesar mais no bolso do cidadão"

    Emendas de relator e orçamento secreto, recorde na concessão de emendas parlamentares [mais que Dilma e Temer juntos]; além do recorde de gastos no próprio cartão corporativo presidencial.
    Some-se a isso a falta de atualização da tabela do imposto de renda. Em breve, até quem ganha apenas o mínimo será obrigado a declarar.
    Então, onde está o controle de gastos públicos que só vc vê? ??


    "liberdade, não só traduzida em reais, mas também como ideal a ser defendido"
    Quando vejo um libertário usar a palavra 'liberdade' como se ela não tivesse limites, parece-me que o Direito jamais precisaria existir, ou que pudesse agir como bem entendesse sem sofrer qualquer punição em prejudicar outrem.
    Quando um bolsonarista fala em 'liberdades', logo isso se traduz em:
    - roubar em gabinetes;
    - usar funcionários fantasmas;
    - lavar dinheiro vivo em imóveis;
    - nomear acobertadores;
    - comprar apoios;
    - assassinar reputações;
    - aumentar o fundão;
    - boicotar vacinas;
    - infectar os outros;
    - tomar menos banho.
    TALKEY?
  • PH  23/03/2022 18:58
    Acuse-os do que vc faz.... Quanta hipocrisia ! É Jair ou já era !!
  • Railson  24/10/2022 02:43
    Você:
    - roubar em gabinetes;
    - usar funcionários fantasmas;
    - lavar dinheiro vivo em imóveis;
    - nomear acobertadores;
    - comprar apoios;
    - assassinar reputações;
    - aumentar o fundão;
    - boicotar vacinas;
    - infectar os outros;
    - tomar menos banho.

    Resposta:
    1 - Nem você e nem mídia que você acompanha tem provas desses tais roubos.
    2 - Quais foram os funcionários fantasmas? Onde você viu isso? E o que o governo do Bolso tem a ver com isso?
    3 - Se soubesse o básico tu saberia que de acordo com o CMV o termo moeda corrente é moeda corrente mesmo e não dinheiro vivo. inclusive, mesmo que os imóveis que foram financiados durante 30 anos tivessem sido comprados por dinheiro vivo, nem mesmo assim haveria crime... O curioso é que não vi ninguém da mídia se perguntar sobre a origem do dinheiro, nem investigaram nem nada, eles fizeram a suposição de que houve crime só por conta da quantidade de dinheiro, imóveis até de cunhado do Bolso que era Rico... E não provaram porque não demonstraram o o crime anterior, para a compra dos imóveis ser considerada crime eles tem que mostrar qual o crime, acusam de lavagem de dinheiro mas não falam nada sobre a origem do dinheiro, desonestidade ou mal caratismo da mídia petista? E você acreditando em tudo que dizem por aí...
    4 - Essa talvez seja o único ponto em que você esteja correto.
    5 - De onde você tirou isso? É cada uma...
    6 - Pelo que me lembro ele havia vetado... noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2021/08/20/bolsonaro-veta-fundo-eleitoral-de-r-57-bi-e-orcamento-secreto.htm
    7 - Não vou nem responder, vejo que é pandeminion e anda bem desinformado sobre a questão das vacinas...
    8 - Bobagem sem sentido.
    9- Outra bobagem sem sentido.
  • Revoltado  28/10/2022 11:02
    7 - Não vou nem responder, vejo que é pandeminion e anda bem desinformado sobre a questão das vacinas...

    =====A lacração aqui no Sul está utilizando um corte do debate do Rio Grande do Sul, em que supostamente o candidato Onyx afirma que "pegar covid é melhor que tomar a vacina", para defender o sorinho milagroso que curiosamente não imuniza tanto quanto creem, fora os efeitos adversos, que, se entrarmos em detalhes, terminaremos o dia com o olhos sangrando de ira. Como bem sabemos, a putada woke apóia o sr. Leite, pelos motivos que bem sabemos, desconsiderando o autoritarismo em determinar o quê um gaúcho poderia comprar nas gôndolas dos supermercados, durante o auge da pandemia. É o tipo de gente que, conforme já escrevi aqui, louva o SUS, sendo que jamais pisou em um mero posto de saúde para apanhar preservativos para utilizar seus órgãos excretores imundos para o polo passivo de suas relações ou mesmo seus falos igualmente asquerosos para introduzir em gente similar., inclusive nos dias atuais morando fora do Brasil, recebendo em moedas um tanto fortes e usufruindo do melhor que o capitalismo lhes oferece.

    8 - Bobagem sem sentido.
    9- Outra bobagem sem sentido.

    =====90% do discurso progressista é isso mesmo, meu caro. Nonsense do início ao fim.
  • Neto  23/02/2022 19:01
    Muito bom! Parabenizo o Instituto por não ficar só nas fáceis críticas (que são cruciais) mas também reconhecer evoluções, melhorias e enfatizar a necessidade de perseverar nesse caminho.

    Lembrando que tudo isso pode se perder em outubro deste ano.
  • Edson  23/02/2022 19:23
    Pesquisa da Modalmais/Futura divulgada agora há pouco mostra Bolsonaro com 34,3% e Lula com 33,3% em pesquisa espontânea.
  • Humberto  23/02/2022 19:26
    Foi só o BC normalizar a política monetária...
  • Peter  23/02/2022 19:34
    Lula não será candidato. Isso inclusive já é ventilado abertamente por alguns sites de esquerda. Ele tem muito pouco a ganhar e praticamente tudo a perder.

    Se ele concorrer e perder a eleição, acabou o mito. Já era. Ficará sem moral e sem força política. Ficará provado que ele nunca foi quem seus defensores juravam que era. E ele simplesmente não pode correr este risco. Ele não pode, numa única jogada, esfacelar sua biografia.

    Já se ele ganhar, as expectativas serão extremamente altas. Aqueles que o têm como um deus irão exigir milagres. Ele terá de fazer um governo espetacular e sem erros apenas para manter sua aura perante seu eleitorado. Como ele sabe que isso é impossível (hoje a conjuntura é totalmente outra), ele sairá menor do que entrou, ainda que faça tudo certo.

    Ou seja, é muito risco para muito pouco ganho.

    Sem dúvida nenhuma que o PT quer o poder. Por isso, Lula vai indicar alguém competitivo. E tendo Lula nos bastidores, em vez de na presidência, há muito mais espaço para acerto$ e governabilidade.
  • Bernardo  23/02/2022 20:04
    Nem Lula nem Bolsonaro serão candidatos. O STF vai garantir isso, até mesmo para que seus ministros voltem a ter sossego. Barrar a candidatura dos dois é a única maneira de os ministros voltarem a poder andar pelas ruas.

    Com a polarização do país, os atuais ministros do STF, que antes nem sequer eram reconhecidos, não mais conseguem nem andar em aeroportos sem serem xingados. São assediados aonde quer que vão. Ninguém gosta de viver assim.

    Tudo o que essa gente mais quer é voltar a ter sossego.

    Não terão sossego se um dos dois for eleito. E também não terão sossego se apenas um deles tiver a candidatura melada.

    Logo, a maior aposta é tirar os dois, posar de isentão, e torcer para um progressista centrista ganhar.

    Lula será indiciado em um de seus dezenas de crimes e ficará de fora pela lei da Ficha Limpa. Bozo fará um acordo com o STF para proteger seus filhos e, em troca, abrirá mão da reeleição, que é uma exigência do STF (aquela trégua costurada por Temer é só o início disso). Concorrerá ao Senado, manterá imunidade parlamentar e indicará Tarcísio.

    A eleição, portanto, será entre Tarcísio, Dória, Moro, um petista qualquer e Ciro.
  • Bernardo  23/02/2022 20:09
    Detalhe: a não-candidatura de Lula já corre nas mesas do mercado financeiro. Os tubarões já sabem disso. Vocês realmente acham que o dólar teria dado essa desabada caso ele realmente fosse se candidatar e ganhasse (como apontam as pesquisas)?

    Tudo isso é tubarão já se posicionando.
  • Ronald Reagan  24/02/2022 20:01
    Essa do Lula não se candidatar tem todo o sentido mesmo.
  • Carlos Alberto  23/02/2022 20:10
    Não sei, espero que você esteja certo. Já vi você falando isso aqui outras vezes.

    Mas é fato que, pela ficha-limpa, o STF tira Lula quando quiser.

    www.gazetadopovo.com.br/republica/breves/receita-federal-aponta-que-lula-sonegou-r-12-milhao-em-impostos/
  • Vladimir  24/02/2022 02:42
    Eleição no Brasil sempre foi inflação e moeda. Sempre. Desemprego está em um distante segundo lugar.

    Com a Lei da Liberdade Econômica, e com cada vez mais desempregados virando autônomos, inflação será cada vez mais o definidor. Se entregar inflação baixa e moeda forte, é reeleição garantida. Porém, se não entregar isso, esquece.

    Ele tem 8 meses para corrigir o cenário.
  • Ronald Reagan  24/02/2022 20:02
    Você acha que consegue corrigir esse cenário de inflação e moeda fraca em 7/8 meses?
  • Futuro   04/12/2022 13:40
    Venho aqui dizer-lhes, meus caros, que Lula conseguiu se candidatar e tomar a eleição, mesmo com Bolsonaro tendo revertido a inflação e todos os índices econômicos tendo melhorado, mesmo após uma pandemia.
  • José Artur Linhares de Csrvalho  28/02/2022 21:44
    Senhores,
    Não acreditei na versão, mas o final vale uma observação.
    O Ministro Tarcísio, cncorrendo com esses candidatos, os venceia facilmente. E o povo brasileiro sairia duplamente ganhando. Oito anos mais de pol[itica liberal, com um Presidente aberto ao mercado e á liberdade de empreender.
    Mesmo sem acreditar, gostei do final.
  • Bernardo  13/04/2022 18:49
    E aí, estão acompanhando as últimas pesquisas? Mais umas três e Lula mete o atestado.

    Parece que vou cravar pelo menos a metade da minha previsão.
  • Fabrício  13/04/2022 19:01
    Sim, e eu acho que você vai cravar.

    Poste e Merenda seria uma chapa muito mais competitiva. Muita gente em 2018 que não votaria em Lula (bandido condenado em três instâncias, e que só se livrou porque o STF foi quase todo indicado pelo PT) votou no poste. E votaria de novo. Já em bandido condenado não votariam de jeito nenhum.

    Para Lula, aliás, é muito mais negócio indicar alguém do que concorrer. Se o indicado perder, ok, não é vergonha nenhuma. Lula ainda se mantém como líder da oposição. Já se o indicado ganhar, Lula será o presidente na prática, só que governando nos bastidores, sem encheção de saco, sem mídia cobrando e sem ter de prestar contas a ninguém. O melhor dos mundos.

    Já se Lula concorrer e ganhar (o cenário menos plausível), ele sabe que não governará. Chance zero de um bandido condenado em três instâncias ter qualquer governabilidade. A própria mídia não será sossego. As expectativas de seus eleitores serão totalmente frustradas. Ele não quer isso.

    Já se Lula concorrer e perder, um abraço. O mito estará morto, sua aura será apagada, e ficará comprovado que ele nunca foi nada daquilo que imaginavam. Pior ainda: toda a esquerda da América Latina, que gravita em torno de Lula e que tem em Lula seu maior líder, será inexoravelmente dizimada. Perderá o rumo e ficará sem aglutinação. Ninguém quer nada com Maduro nem com Fernandez. O chileno lá ninguém sabe quem é. A esquerda latino-americana ficará próxima da extinção.

    Em suma, Lula não tem quase nada a ganhar se concorrer. Mas pode se dar muito bem se não concorrer e indicar alguém.
  • Bruno Souza  13/04/2022 20:01
    Eu nunca vi muito sentido nessa tese de que o Barba vai stopar. Mas devo dizer que seu raciocínio faz sentido.

    E acrescento: o Barba estará com 77 anos ao fim do ano. Tá namorando uma novinha. Os próximos 4 anos serão os derradeiros de sua virilidade. É difícil imaginar que ele vai querer passar esses próximos 4 anos tendo de negociar com deputado, ceder a chantagens do Congresso, ser cobrado pela mídia, e ainda correr o risco de ser impichado. Vai querer é ficar nos bastidores namorando e curtindo sossegadamente sua grana roubada. Muito melhor.
  • Ronald "Ronnie" McCrea  14/04/2022 22:38
    ''É difícil imaginar que ele vai querer passar esses próximos 4 anos tendo de negociar com deputado, ceder a chantagens do Congresso, ser cobrado pela mídia, e ainda correr o risco de ser impichado. ''

    Por quê acha que estão discutindo semi-presidencialismo?
  • Ronald "Ronnie" McCrea  14/04/2022 03:40
    '' indicará Tarcísio.''
    ''A eleição, portanto, será entre Tarcísio, Dória, Moro, um petista qualquer e Ciro. ''

    Quanto a Tarcísio, já tá confirmado que ele é candidato a governador do estado de São Paulo. Mas, tudo pode mudar.
  • Bernardo  14/04/2022 17:21
    Lula irá anunciar que seu câncer voltou e irá se retirar. Fará um grande anúncio e, em um "ato de grandeza", pedirá que "todo o país se una" em torno do nome que ele indicar (e que terá Alckmin de vice). Por ter câncer, ele espera que isso cause uma comoção e automaticamente transfira votos para seu indicado.

    Quanto à não-candidatura de Bolsonaro, ele subiu nas pesquisas e eu não havia previsto isso. Talvez nessa eu erre.
  • Felipe  14/04/2022 21:44
    Bolsonaro só não vai se candidatar se houver algum obstáculo jurídico.

    Peter Turguniev falou sobre a ascensão do Bolsonaro ainda no ano passado. Grande parte das previsões ele acertou.
  • Ronald "Ronnie" McCrea  14/04/2022 23:01
    ''Bolsonaro só não vai se candidatar se houver algum obstáculo jurídico. ''

    É exatamente por isso que o STF não dorme e não sai nas ruas sem serem vaiados e assediados. Apesar das ''costas quentes'', parece que estão no limite. Não aguentam mais. Por isso essa loucura de semi-presidencialismo discutido fora do país. E quanto a obstáculo jurídico, eles sabem que não tem, por isso ficaram esses 4 anos quebrando a cabeça pra tentar criar 1. É o caso do ''queiroz'', ''micheque'', ''covaxin'', cpi da pandemia(patrocinado com a interferência do STF) com direito a um show de falta de educação, arrogância, desumanidade, demonstrações de bestialidade, humilhação de médicos conceituados usando os remédios proibidos pela ''imprensa'' zumbi, e agora em ano de eleição, querem a cpi do mec com assinatura falsa e tudo no senado. Estão todos insanos. E ele não cai de jeito nenhum. O apoio só aumenta. E se conseguem pelo menos 1 vez, ou eles dão um jeito de ficar de home-office até se aposentarem pois nunca mais terão sossego quer queiram quer não (estão querendo aumentar o tempo de aposentadoria compulsória de 75 pra 78 anos), ou terão que fugir do país a força. (E de carro, porque de avião, não terão sossego mesmo.) Por que será que investiram em armamento para seus guardas no STF? Pois sabem que podem fazer o país pegar fogo e ter revolta geral. (Uma possibilidade.)
  • Ronald "Ronnie" McCrea  14/04/2022 22:47
    ''Logo, a maior aposta é tirar os dois, posar de isentão, e torcer para um progressista centrista ganhar. ''

    Por isso que querem emplacar Eduardo Leite. Alguns querem isso.
  • Estado máximo, cidadão mínimo.  15/04/2022 03:31
    Sim. Mas como já foi apontado pelos colegas comentaristas aqui, esse pessoal novo da esquerda possui pouco apelo popular. Tudo gravita ao redor de Lula, em nível de continente, inclusive. Há pouco tempo, eles tinham ainda o Chavinho e o Fidelito. Mujica um pouco, também, mas como este leva uma vida humilde e discreta, é totalmente ignorado pela canhota vedete de hoje em dia.
  • Supply-sider  23/02/2022 19:40
    Despesas caem 23%, e contas do governo têm em 2021 o melhor resultado em 7 anos

    oglobo.globo.com/economia/macroeconomia/despesas-caem-23-contas-do-governo-tem-em-2021-melhor-resultado-em-7-anos-1-25371550
  • Daniel  23/02/2022 21:06
    Mansueto Almeida recentemente lembrou que, desde a Constituição de 1988, todos os presidentes da República deixaram o Palácio do Planalto com mais gastos públicos sobre o PIB do que encontraram ao chegar. Pela primeira vez, teremos esse ciclo interrompido. Esse é um marco do governo Bolsonaro.

    Num mandato ainda em curso foram aprovadas: PEC da Previdência, PEC Emergencial, Nova Lei do Gás, nova lei de falências, nova lei do saneamento, privatização da Cedae, privatização da Eletrobras na Câmara, Banco Central independente, e caminhamos com a reforma administrativa.
  • Lucas  23/02/2022 21:10
    Todos os governos anteriores davam aumentos salariais para os funças e/ou contratavam mais funças. E faziam propaganda em tudo quanto é canal de televisão. No atual, ao menos por enquanto, essa farra foi contida.

    Por isso, pode esperar movimentos grevistas e chantagens de todo tipo mais perto das eleições. Em MG já estão fazendo isso com o Zema.
  • Felipe  23/02/2022 19:49
    Gente, eu não acredito que o meu simplório artigo foi parar no IMB!

    Muito obrigado!
  • Geraldo  23/02/2022 20:02
    E ficou muito bom. Parabéns!
  • Felipe  23/02/2022 20:30
    Obrigado.

    Óbvio, houve algumas adaptações no artigo para o IMB e que não foi o que escrevi exatamente lá no meu blog, mas não tem problema, o que importa é que tem gente que gosta de ler meus humildes textos.
  • anônimo  23/02/2022 20:40
    Esse artigo serve para futuros estudos sobre o governo bolso. E pra arquivar.
  • 4lex5andro  24/02/2022 13:20
    Um texto conciso e pragmático como na mídia mainstream (sob que interesses?) não vai sair.
    Que serve de informação, não só elogiosa ao que o atual governo fez de positivo (e a maior parte dos meios de mídia evitam informar) mas também pontuando (em alguns links) suas falhas.
    O fato é que com o ''temeroso'' o país parou de cair, e o ''bozo'' representa o degrau no caminho certo... nenhum dos 2 é e nunca foram a escada, que fique entendido... e sim, partes numa correção de rumo da nação.

    Voltando as privatizações, concessões, menos burocracias e reformas de base que o país ansiava há quase 2 décadas.
    Que o Brasil valorize a paz e a liberdade no próximo outubro.
  • Ministro Paulo Guedes   23/02/2022 23:50
    Então quer dizer que vocês gostaram do meu trabalho no primeiro mandato de bolsonaro?
    Que bom, pois tinha visto muita crítica as minhas declarações de que dólar alto era bom, minhas declarações de que iria combater o rentismo abolindo os juros altos, CPMF de máscara, imposto sobre dividendos etc.

    Ou esqueceram de que fiquei muito chateado com isso aqui
    www.mises.org.br/article/3282/afinal-o-que-houve-com-paulo-guedes

    Ou esse aqui que me fez derramar lágrimas
    www.mises.org.br/article/3363/a-reforma-tributaria-proposta-e-ruim-e-tem-de-ser-alterada-ironicamente-ela-e-um-paradoxo-guediano

    Essa daqui doeu no coração
    www.mises.org.br/article/3386/ciro-dilma-lula-bolsonaro-e-a-petrobras

    Pena que não vi nenhuma menção ao meu nome no artigo. Na hora de elogiar esquecem de mim, snif snif

    Fim da paródia
  • Michel  24/02/2022 00:30
    Que bom que o senhor aprendeu com os erros, reconheceu as falhas e mudou o rumo.

    Parabéns!

    Mas muito pior que o senhor era o Banco Central (que é quem realmente manda na economia). Este cometeu erros crassos, que quase colocaram tudo a perder.

    Mas felizmente reconheceram os erros, deram um cavalo de pau, e agora entraram no rumo certo.

    Quem reconhece erro e muda de curso merece elogios.

    Abraços e boa sorte.
  • ELCIO ROBERTO FERREIRA MAIOLINI  24/02/2022 00:02
    Capitalização da previdência não passou porque seria uma revolução no nordeste. O aposentado com um salário mínimo lá é tratado como um lorde. Imaginem se ele recebesse dois ou três salários.
  • anônimo  24/02/2022 02:31
    O problema da lei do gás é que tem rotas ineficientes, obrigando a construir gasodutos onde não é o meio mais viável, apenas para dar dinheiro a empreiteiras;
    Esse é um problema de tentar fazer reformas pro-mercado em instituições como a Brasileira, se ninguém ganhar com alguma alteração que afeta o projeto original, a lei não é aprovada

    Liberalismo na terra da corrupção, é liberalismo corrompido
  • McDonnell  24/02/2022 02:41
    Alguém já viu o documentário sobre a Boeing e a queda de dois aviões dela recentemente ?

    Inclusive lá cita algo semelhante ao que foi colocado no texto, que foi o relaxamento da fiscalização ao longo do tempo, mas que obviamente, depois da morte de centenas de pessoas, a fiscalização dos órgãos reguladores ficou mais rígida.

    Sem contar os executivos que ganhavam bônus absurdos, foram afastados com aposentadorias milionárias e vivem uma vida nababesca, enquanto centenas de famílias amargam o luto.
  • Douglas  24/02/2022 02:48
    Não entendi. Você está dizendo que Boeings caíram por falta de fiscalização de burocratas?

    Aliás, exatamente agora em que o estado tem mais poder e mais capital (pois há muito mais riqueza sendo tributada), os Boeings começaram a cair porque os burocratas estão trabalhando menos"

    É isso mesmo?
  • Leitor Antigo  24/02/2022 02:52
    O interessante é que neste comentário aqui um esquerdista diz que a Boeing só é o que é (em termos de empresa boa e pujante) porque recebe subsídios do governo americano.

    Agora tem outro esquerdista dizendo que a Boeing passou a fazer aviões ruins por ausência de governo.

    Será que dá para pedir um mínimo de consenso?
  • Juliano  24/02/2022 02:57
    Mas a Boeing de fato é subsidiada pelo Eximbank, um banco estatal americano cuja função é conceder empréstimos para empresas de países estrangeiros que querem importar produtos americanos (na prática, o banco serve para garantir as exportações da Boeing).

    O governo americano, com o dinheiro de impostos, garante a reserva de mercado da Boeing.

    Ademais, Airbus e Boeing não apenas recebem fartos subsídios dos governos europeus e americano, como ainda usufruem generosos contratos de fornecimento para com esses governos. A Boeing, por exemplo, possui fartos contratos com o Departamento de Defesa dos EUA, e a Airbus é campeã dos subsídios.

    Se esquerdista quiser criticar a Boeing, tem que levar em conta tudo isso.

    O que realmente não dá é elogiar a empresa dizendo que ela representa o sucesso de um capitalismo protecionista e criticar a empresa dizendo que ela é consequência de um capitalismo não-regulado.
  • Mc Donnell  24/02/2022 11:30
    Falta leitura ao leitor antigo e ao Douglas

    O próprio artigo fala da reforma e extinção de um conselho regulatório ligado ao setor aeroespacial dos EUA para mostrar que é a desregulamentação é boa.

    E ambos confundem os mais diversos e complexos papéis dos governos mundo a fora. O setor de fabricarão de aeronaves conta com subsídios no MUNDO INTEIRO importantíssimo para sobreviverem. Só que os subsídios e financiamentos estatais não vão garantir a segurança técnica das aeronaves.

    Pra isso você precisa de uma outra perna muito importante do governo que e a regulação. Enquanto nos EUA a regulação afrouxou os problemas começaram a aparecer. A EASA costuma ter uma postura muito mais correta. Governos europeus costumam se preocupar mais com a segurança de seus cidadãos por conta do histórico de bem estar social.

    No fim, Airbus, Boeing e embraer recebem ajudas estatais na primeira perna citada, na parte do financiamento e subvenções fiscais. Isso é fato completamente indiscutível (só no fantástico mundo libertário que nao existe e jamais existirá e que se vier a existir sera a ruína da nação é que não)
    Se uma deixa de fazer é a sua morte pois as outras farão.
    Logo, se pra vencer uma batalha você precisa estar descansado, não é garantia de vitória se vc descansar, mas é garantia de derrota se vc não descansar.

    Incentivos a empresas de alto valor agregado é o mínimo que as principais nações mundo a fora fazem para se desenvolverem. Algumas vão vencer outras nao, mas se o governo não apoiar alguma delas, dificilmente vingará
  • Douglas  24/02/2022 11:57
    Ah, entendi.

    Segundo você próprio, o setor conta com "subsídios no MUNDO INTEIRO importantíssimo para sobreviverem". O setor "recebe ajudas estatais […] na parte do financiamento e subvenções fiscais". E "isso é fato completamente indiscutível". Afinal, "incentivos a empresas de alto valor agregado é o mínimo que as principais nações mundo a fora fazem para se desenvolverem."

    Certo.

    Aí o avião cai e você diz que é porque faltou estado…

    É. Realmente, falta interpretação de texto para alguém aqui.


    P.S.: mas eu gostei muito desta parte aqui: "Governos europeus costumam se preocupar mais com a segurança de seus cidadãos por conta do histórico de bem estar social."

    Vejo que de "mundo fantástico" alguém entende.
  • Gustavo  24/02/2022 12:04
    A melhor parte foi aquela em que ele dá a entender que empresas capitalistas, sem supervisão de burocratas, irão matar todos os seus consumidores (afinal, no capitalismo, a empresa só lucra se matar todos os seus consumidores, né?).

    Isso mostra como o esquerdista médio não entende p… nenhuma de capitalismo. Ele genuinamente acredita que empresas, se deixadas livres, irão realmente sair assassinando todos os seus consumidores. Porque quanto menor o número de clientes, maiores as receitas dos capitalistas…

    E quem impede essa chacina são burocratas, pois estes amam o povo.

    Afinal, empresa quer ter prejuízos e danos irreversíveis à sua imagem (matando clientes) ou quer ter altos lucros e uma boa imagem (tratando bem clientes)?

    Elas, afinal, amam dinheiro ou odeiam dinheiro? Se amam dinheiro, é incoerente quererem matar seus clientes. Se querem matar, então odeiam dinheiro.

    Não há meio termo.

    Esquerdista não sobrevive a dois minutos de debate lógico.
  • Mc Donnell  24/02/2022 15:23
    Aí o avião cai e você diz que é porque faltou estado
    Exato.
    Faltou governo na parte de regulação.
    Eu sei que pra quem tem uma cabeça binária tipo governo e não governo é difícil entender.
    O governo pode estar presente no financiamento a empresa pra consecução de recursos ao desenvolvimento da aeronave, pro financiamento aos clientes da Boeing etc.
    mas o governo também tem que estar presente na regulação. E é uma perna completamente diferente a outra, pois o mundo tem complexidade muito maiores que classificar tudo como governo e não governo.
    Uma coisa é o departamento de desenvolvimento de um país que financia e apoia a produção e desenvolvimento tecnológico, outra é a agência reguladora. E tem tantos outros departamentos em diversos governos mundo a fora

    Sei que no mundo fantástico de vocês, que até alguns admitem que VIRARIA PO em pouco tempo no libertarianismo, mas que outros juram que é o paraíso, tudo seria fantástico e fácil.

    A minha discussão é se mais ou menos governo deveri existir e em que searas, a de vocês é que governo não deve existir jamais: algo que sequer foi testado no mundo moderno e que qualquer ver que é INVIÁVEL!

    A melhor parte foi aquela em que ele dá a entender que empresas capitalistas, sem supervisão de burocratas, irão matar todos os seus consumidores (afinal, no capitalismo, a empresa só lucra se matar todos os seus consumidores, né?)

    Discordo, não acho que é o destino fazer isso. Mas eu afirmo que empresas na busca desenfreada de lucro, sobretudo aquelas que estão pressionaras por acionistas que visam mais o curto do que o longo prazo, podem tomar ações mais arriscadas e aumentar a probabilidade de chances de acidentes de seus produtos se isso for lucrativo.
    E foi.
    O chairman da Boeing se deu bem. Aposentou com um bônus de mais de USD 50 MM.
    Nem todas são assim. A airbus parece respeitar mais a vida dos seus clientes.
    O dia que for vc vítima de um """acidente""" como o da Boeing e de toda empulhacao da empresa talvez vc mude de ideia.

    resumo: a Boeing tentou gastar menos dinheiro com as regulações dos burocratas, e conseguiu, porque as regulações não fazem sentido. Só que havia um detalhe que, embora tenha sido aprovado pelos burocratas, era um grande erro do ponto de vista técnico.

    Se for pra contar a história toda conta direito pelo menos.
    A própria Lion Air queria fazer testes e treinamento dos pilotos, a Boeing que falou que nao precisava.
    E não adianta, se você coloca um governante que quer destruir qualquer tipo de regulação, o governo vai trabalhar com menos poder de regulação e as chances de dar ruim aumentam. E foi isso. Por isso é tão importante votar em governantes que se importem verdadeiramente com a proteção de seus cidadãos e reconheça as falhas de mercado
  • Fokker  24/02/2022 17:18
    Legal. Diz aí: o Fokker 100, holandês, europeu, de um país que ama seu povo e "tem um generoso estado de bem-estar social" (estou repetindo suas palavras e seguindo sua lógica), e que teve vários problemas técnicos graves e numa época de total regulação estatal do mercado aéreo.

    Foi culpa do capitalismo ou do estado de bem-estar social europeu?

    Detalhe: a empresa foi criada por um cara que se especializou em fornecer equipamentos para o governo. Tinha o governo como principal cliente. Pela sua lógica, portanto, seria o avião mais seguro do mundo…
  • Viajante  24/02/2022 17:20
    Eu adoro ver a ginástica mental da esquerda.

    23:59h: "A Boeing é uma potência porque recebe vastos subsídios do governo e porque produz produtos para o governo comprar! É um exemplo de capitalismo de estado! É assim que deve ser!"

    00:00h: (Boeing 737 Max sai um merda)

    00:01h: "Tá vendo? A Boeing é o perfeito exemplo de uma empresa capitalista que só pensa no lucro! Se ao menos o estado estivesse presente isso não teria acontecido!"


    Curiosidade: o modelo da Boeing é a definição perfeita das tais "compras governamentais" defendidas por Ciro Gomes e seu projeto de "nacional-desenvolvimentismo" (que também pode ser chamado economicamente de nacional-socialismo).
  • Mc Donnell  24/02/2022 18:05
    Caro Fokker,
    Como disse, você não vai encontrar fabricante de avião que não tenha apoio do governo local. Não existe, não seriam capazes de competir no mercado nem de chegar a mercado.
    Ou vc acha que os governos investem em aviões por puro e mero capricho? É pq simplesmente não dá.
    Após você superar este FATO, releia o que disse. As empresas vão brigar, e todas que brigarem serão apoiadas pelo governo por definição. Algumas triunfarão, outras fracassarão MAS SÓ EXISTIRÁ empresa com apoio estatal. ACEITE. E A REALIDADE!

    Viajante,
    A empresa tem aspectos públicos e privados. E ela claramente fez besteira por conta de um aspecto privado da fusão com McDonnel e a mudança da cultura corporativa. Antes e depois disso um elemento já existia ali, o governo, logo ele não pode ser o responsável pelo problema. O que mudou foi a cultura corporativa da fusão que houve.

    Vc tem que superar a superficialidade. E continua tratando com o governo como se sua presença ou ausência fosse determinante de tudo. Tem vários meandros, vários deptos, várias agências, cada qual com uma atribuição e atuando em ambientes extremamente complexos.
    Citei um milésimo dessa complexidade ao mostrar o governo atuando enquanto promotor de desenvolvimento e recursos técnicos para empresa e uma outra face quando o governo atua como regulador dos serviços prestados por empresas.

    O mundo é assim

    Você pode espernear e querer ver um mundo com duas cores apenas e que tudo só tem duas faces. Não é assim. Você precisa estudar mais e se aprofundar nos assuntos.

    A ideia de mundo que você defende sequer existe algo próximo. Pelo menos tem ideólogos mais sinceros ao admitir que essa utopia delira te libertária é INALCANÇÁVEL!

    Pois bem, após essas aulas todas que ministrei a vocês, encerro aqui minha participação.

    Trouxe diversos insights e fatos que fizeram todos refletir e até admitir algumas coisas, mesmo que a pressão ideológica não permita.

    Um abraço e mais estudos a alguns de vocês. Estão precisando
  • Douglas  24/02/2022 18:20
    "Algumas triunfarão, outras fracassarão MAS SÓ EXISTIRÁ empresa com apoio estatal. ACEITE. E A REALIDADE!"

    Ué! Mas fui em quem falou isso aqui!

    Fui eu quem trouxe a informação de que Boeing e Airbus são empresas dependentes do governo!

    Você chegou aqui dizendo que a Boeing fez merda porque era empresa privada, capitalista e gananciosa.

    Eu gentilmente lhe explique que Boeing e Airbus sempre foram empresas dependentes de governos, tanto via subsídios diretos quanto via compras governamentais.

    Aí você, agora munido desta informação (a qual, pelo visto, você desconhecia), ficou desconcertado, partiu para o desespero e começou a argumentar duas coisas totalmente contraditórias, a saber:

    1) A Boeing sempre teve participação estatal;
    2) A Boeing fez merda porque faltou ainda mais participação estatal.

    Alertado desta incoerência (você não pode argumentar duas coisas contraditórias ao mesmo tempo), deu chilique, bateu pezinho e recorreu ao truque clássico: mandar os outros irem estudar (conselho este que você próprio, ao que tudo indica, ainda não implantou).
  • Ex-RP  24/02/2022 03:03
    Sendo eu uma ex-relações públicas, digo que o documentário é muito bom, pois ensina uma excelente lição para as empresas e corporações de hoje: não façam cagada, ou vocês vão parar no TOP-10 dos mais vistos do seu streaming preferido. E não há equipe boa de relações públicas que conserte uma bomba atômica dessas na reputação de marca nenhuma.

    Houve uma época em que se fazia gestão de crise ligando pra meia dúzia de editores-chefes e soltando um comunicado "lamentando o ocorrido". Eu peguei um pouco dessa maneira reativa de lidar com reputação. Estou falando de mais de 15 anos. Me choca que ainda tem empresas assim.

    A gente está na época em que qualquer um pode fazer um puta vídeo, jogar no youtube ou streaming e ter milhões/bilhões de views. E empresas e (muitas) agências ainda acham que é possível gerenciar crise se escondendo, como se fosse uma fórmula pronta.

    Ignoram streamings, redes sociais e acham que tudo se resolve com lobbistas, notas que começam com "lamentamos o ocorrido" e publicidade paga em jornal impresso (que ninguém lê).

    O resultado é isso ai. Crises que pareciam ter sido superadas e que podem ressurgir qualquer hora.

    Redes sociais, para o bem ou para o mal, trouxeram uma nova forma de regulamentação para o mercado: a regulamentação feita diretamente pelos consumidores.
  • Leitor Antigo  24/02/2022 03:08
    Mas isso não é novidade. Sempre foi assim (regulação feita pelo consumidor). A diferença é que agora está mais massificado e mais instantâneo, o que é ótimo.

    Sobre a United Airlines, o respeito ao consumidor, o YouTube e os smartphones

    É impossível existir um mercado desregulamentado
  • Ex-microempresario  24/02/2022 13:41
    O problema é que quando o estado garante a reserva de mercado, as empresas não precisam se preocupar com a reputação, porque o consumidor não tem escolha.

    Por exemplo: aqui no Brasil a Gol só usa Boeing e a LATAM só usa Airbus. Se o consumidor decidir boicotar um desses fabricantes, ficará sem poder escolher: só sobra uma. E existem muitas rotas em que só há uma empresa. Na prática, em certas cidades ou você vai de Boeing ou não vai.
  • Ex-microempresario  24/02/2022 13:35
    Sobre o tal documentário: para qualquer coisa ruim que acontecer no mundo, seja queda de avião, rompimento de barragem ou pênalti chutado para fora, alguém irá fazer um documentário dizendo que a culpa é do capitalismo e da falta de regulamentação, e pedir mais governo. Podem chamar de estratégia Gramsciana se quiserem, ou simplesmente reconhecer que bajular o estado sempre dá lucro.

    Quanto à Boeing: lançar um avião no mercado demora anos e custa bilhões porque é necessário atender a um monte de exigências do governo para obter a tal certificação. A Boeing fabrica um avião que tem o mesmo nome desde os anos 60, 737, só que o modelo fabricado hoje é muito diferente do primeiro.

    Para reduzir as exigências e os custos, tanto do fabricante quanto das companhias aéreas, a Boeing faz um grande esforço burocrático para "provar" que cada novo modelo não é novo, mas apenas uma "variação" do anterior. Assim as exigências diminuem. Por causa disso, o pessoal da área diz que os novos Boeing não foram projetados por engenheiros, e sim por advogados.

    Aconteceu que no processo de certificação do 737MAX, foi constatado que em determinadas situações a resposta do modelo novo seria diferente do anterior, e isso complicaria a certificação. Então foi instalado um software chamado MCAS que serviria para fazer com que o MAX continuasse suficientemente parecido com os 737 anteriores e não precisasse de uma nova certificação.

    Aí foram cometidos dois grandes erros: em primeiro lugar, o MCAS usava a informação de um único sensor, ignorando o conceito de redundância que é fundamental na aviação. Em segundo lugar, o MCAS simplesmente foi omitido dos manuais. Os pilotos não sabiam que esse negócio existia. Aí aconteceram dois casos em que o tal sensor pifou e o MCAS começou a interferir nas ações dos pilotos, que não entendiam o que estava acontecendo porque nem desconfiavam que existia um software desses instalado no avião - lembrando que a Boeing sempre declarou seguir a filosofia "o piloto é quem manda", e criticava a Airbus por supostamente permitir que os computadores ignorassem a vontade do piloto.

    Em resumo: a Boeing tentou gastar menos dinheiro com as regulações dos burocratas, e conseguiu, porque as regulações não fazem sentido. Só que havia um detalhe que, embora tenha sido aprovado pelos burocratas, era um grande erro do ponto de vista técnico.
  • Rafael  24/02/2022 03:31
    Aproveitando a deixa da recente declaração de guerra, Bozo deu uma hedgeada raiz com encontro na Rússia.

    Brasil é um dos lugares mais seguros do mundo hoje. Para investir e para viver.

    Nem míssel alcança a gente. Hahahaha
  • Felipe  24/02/2022 13:05
    Governo brasileiro tem histórico não-belicista desde a Guerra do Paraguai.

    Rublo russo já afundou, enquanto o DXY subiu e o real brasileiro permanece firme.
  • Igor  24/02/2022 03:43
    ++O Brasil, de acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), registrou posição de liderança mundial na aceleração das taxas de poupança e de investimento nos últimos três anos, possibilitando a melhora do crescimento sustentável no longo prazo.

    No período entre 2018 e 2021, o Brasil foi o segundo país que mais elevou a taxa de poupança entre as 20 nações com maior PIB, em dólares, considerando dados do World Economic Outlook. Além disso, o país ficou em 3º lugar com maior expansão da taxa de investimento no período.

    A taxa de poupança nacional acumulada em um ano chegou a 17,8% do PIB no terceiro trimestre de 2021, retomando o nível de 2014. Já a taxa de investimento, subiu de 15,5% do PIB, em 2019, para 19% do PIB acumulado até setembro de 2021, retornando ao nível de 2015.

    Esse avanço do investimento se dá em condições melhores em termos de alocação de recursos e de financiamento, com protagonismo do setor privado: os recursos atualmente são alocados via mercado para projetos em que são mais eficientes e não mais para onde o Estado determina.

    Assim, esperam-se efeitos positivos no PIB de longo prazo, em função da onda de investimentos privados, corroborada pela manutenção da alta na produção de bens de capital e de insumos, que favorece a expansão quantitativa e qualitativa da produção e da geração de emprego e renda.

    www.gov.br/economia/pt-br/assuntos/noticias/2022/fevereiro/expansao-das-taxas-de-poupanca-e-de-investimento-consolida-o-caminho-do-crescimento-sustentavel-aponta-spe
  • ELCIO ROBERTO FERREIRA MAIOLINI  24/02/2022 11:16
    Capitalização da previdência não passou porque seria uma revolução no nordeste. O aposentado com um salário mínimo lá é tratado como um lorde. Imaginem se ele recebesse dois ou três salários.
  • anônimo  24/02/2022 14:00
    Invasao da ucrania e o dolar ja foi a 5.10
  • Avelino  24/02/2022 16:02
    Eu acho um disparate elogiar a atuação do bolsonaro na aviação quando a gente teve aqui o caso da Itapemirim que me trouxe um bocado de dor de cabeça às vésperas do natal.
    Tem que ficar em cima dessas empresas se não já viu né.
    Agora To aqui tentando correr atrás na justiça pra vê se consigo algo. Azul é muito melhor!
  • Guilherme  24/02/2022 17:18
    Anotado. Você quer um mercado fechado apenas para Latam, Gol e Azul, com a proibição do surgimento e da entrada de novos concorrentes.

    Beleza.

    Só não vale depois reclamar que os preços das passagens são altos em decorrência deste cartel protegido pelo estado.
  • Avelino  24/02/2022 18:46
    Prefiro pagar um pouco mais caro do que ser feito de bocó por um oportunista desse da Ita. Nunca mais compro nada dessa empresa.
    Me fez ter dor de cabeça e mais milhares de pessoas por aí.
    Era melhor que o governo só deixasse entrar empresas sérias e que não enganasse ninguém de forma tão sórdida. Me sinto um palhaço nas mãos desses caras.
    Se alguém quiser entrar no mercado tem que provar que é seria. Imagino quanto dinheiro o dono da Itapemirim não levou.
    E aposto que mesmo com a falencia, ele não tá andando de ônibus lotado como boa parte da população. Deve ter fugido com nosso dinheiro e tá aproveitando muito bem por aí
  • Douglas  24/02/2022 17:28
    Detalhe: desde que a Itapemirim deixou de voar, foram consumidos mais de R$ 4,8 milhões do caixa do grupo que ainda se encontra em recuperação judicial desde 2016. A empresa e seus herdeiros estão falidos.

    O mercado pune quem não sabe empreender.

    Daqui a pouco aquele cara lá de cima (o tal McDonnell) virá dizer que a Itapemirim representa a "ganância capitalista". Segundo ele, capitalista adora ser malvado porque é assim que ele ganha dinheiro…
  • Kaio  24/02/2022 17:46
    Eu queria mesmo que fosse como o Douglas diz, mas acho que divida não se herda assim não.
    Na real mesmo, não sei se tem advogado aqui, mas só passaria pros acionistas a dívida trabalhista e talvez a tributária, mas o resto dos credores e os clientes ficam a ver aviões (não resisti o trocadilho).
    Então, o cara fez merda e vai sofrer pouquinho. Não vai cobrir todo o prejuízo que fez.
    Aliás, conheço muita gente assim, abre vários cnpjs, estoura eles em dívidas e segue a vida bem com carro maneiro e em barzinho todo fds
  • William  24/02/2022 18:08
    1) Os acionistas (que são os capitalistas, pois foram os que injetaram capital na empresa e são os donos dela) ficam com o pepino. Eles têm de arcar com as dívidas e depois têm de reestruturar a empresa (contratando nova administração). Ou então vendem o que conseguem para quem eventualmente se interessar (a um preço bem menor do que investiram).

    2) Consumidores podem acionar judicialmente por quebra de contrato. Sendo a justiça estatal, ela irá proteger a empresa caso esta seja do interesse do estado.

    3) Já os credores podem assumir a empresa caso a justiça estatal permita (este é o certo). Mas normalmente a justiça estatal bloqueia isto.

    4) Quanto ao "cara que fez merda sofrer pouquinho", isso será estipulado pelos consumidores. Se um pilantra sai dando golpes a rodo, mas mesmo assim as pessoas seguem voluntariamente adquirindo seus produtos e lhe dando dinheiro, então, bem, trata-se da famosa máxima de "já que o povo quer…". Aí é um caso de masoquismo dos consumidores. Duvido muito que isto ocorra com frequência, mas, caso ocorra, nada se pode fazer contra isso.

    Dito isso, eu realmente duvido muito que os consumidores premiem esse tipo de pessoa. Ninguém fica rico após ter sua fama conspurcada por acusações de estelionato.
  • anônimo  24/02/2022 19:05
    Ah não. O dinheiro que ele investiu na empresa ele perdeu e não verá nunca mais
    O problema é que se ele colocou 100 e deu prejuízo de 500, os 400 de diferenca são impossíveis de se resgatar. Os passageiros que arquem com as consequências, os fornecedores que estão sem receber e os financiadores.
    Se os financiadores não quiserem tocar a empresa, o juiz indica um gestor da massa falida e pronto, acabou a empresa.

    E o cara tá aí livre pra fazer o que quiser, basta usar laranjas e abrir empresa no nome de outra pessoa. Sem contar que ele pode ter feito um monte de falcatrua entre ele na pessoa física e ele na pessoa jurídica em que drenou os recursos pra conta pessoal e a galera que não recebeu dinheiro de volta ou não voou que vai se lascar.
    Driblar o problema da "reputação" é a coisa mais fácil do mundo
  • Régis  24/02/2022 19:33
    Ué, mas aí é fraude. É estelionato. É golpe. É quebra de contrato. É falcatrua.

    Onde está a justiça estatal que não o pune?
  • Hugo  24/02/2022 19:40
    Aqui explica bem. Trata-se de um trio de trambiqueiros que, exatamente por conhecerem bem a justiça estatal, fazem o que querem.

    Eis alguns trechos:

    "O trio já foi processado várias vezes por empresários e credores. Apenas no Tribunal de Justiça de São Paulo, o nome Sidnei Piva de Jesus aparece em 60 processos, Camila em mais 27 e Milton Rodrigues em 25."

    "Sidnei e seus companheiros também ocultariam seus patrimônios e de suas empresas para inviabilizar a cobrança de dívidas, mesmo após decisões judiciais."

    "Além disso, outro método do trio seria o de criar argumentos falsos e discussões teóricas que demoram anos para serem resolvidos na Justiça. Assim, mesmo que o trio perca os processos, tem tempo de sobra para manobrar os recursos e dificultar a reparação de danos."

    www.cnnbrasil.com.br/business/dono-da-itapemirim-fez-fortuna-com-a-compra-de-empresas-a-beira-da-falencia/


    Ou seja, nêgo faz o que quer em termos de criminalidade, pois sabe exatamente como operar a justiça estatal.

    E ainda tem gente dizendo que a solução é mais estado…
  • Mc Donnell  24/02/2022 21:13
    Como Douglas me chamou, vou dar minha opiniao.
    Alia, já dei antes. E repito, nem todo capitalista é malvadão, mas precisamos de proteção contra esses malvadões.
    E vou usar suas falas aqui pra provar meu ponto

    Ou seja, nêgo faz o que quer em termos de criminalidade, pois sabe exatamente como operar a justiça estatal.

    Ué… pensei que as pessoas iriam ver que se tratava de um golpista e não fariam negócios com ela. Que consumidores sadomasoquistas hein?!?!

    Claro que é ptetico esperar que todo e qualquer negócio que tu vai fazer vc tenha que destrinchar a vida pregressa do dono da empresa. Na maioria das vezes vc nem saberá quem é.

    Mas sei que tem gente por aí que acha que vivemos o mundo fantástico em que conseguese tudo muito fácil num país chamado Ancapistão. Eles só não conseguem explicar como funciona esse país pois é uma abstração.

    Ué, mas aí é fraude. É estelionato. É golpe. É quebra de contrato. É falcatrua.

    Onde está a justiça estatal que não o pune?


    Regis, já falei aqui que as pessoas precisam estudar mais.
    Não adianta advogar pra ter aula de financas e direito no ensino médio se vc mesmo não sabe o básico do básico.

    O conceito de responsabilidade limitada É INERENTE ao capitalismo.

    Lembro de no ensino médio, o meu saudoso colégio apresentar o documentário abaixo
    pt.m.wikipedia.org/wiki/The_Corporation

    Nele mostra como o capitalismo se funda em cima justamente de conceitos jurídicos de responsabilidade limitada.
    Portanto, você definiu bem como muitos capitalistas (ainda que nem todos) se comportam: "GOLPE", "ESTELIONATO", "FALCATRUA".

    Só não concordo com QUEBRA DE CONTRATO" pois o contrato está lá, só que é ininteligível para 99,99% da população.

    Mas eis que bolsonaro vem com a solução: "vamos dar mais poder e permitir que golpistas e estelionatários saiam entrando em setores estratégicos pelo Brasil. Assim vamos crescer"

    Um "jenio " não é mesmo?

    E o pior é ter gente aplaudindo
  • Douglas  25/02/2022 00:48
    Bom, dado que você não respondeu a minha pergunta lá em cima, e nem respondeu a pergunta que fiz aqui, então realmente era melhor nem ter voltado (ou vindo para esta nova thread).

    As coisas que você citou são crimes, e devem ser tratadas como tal. Não se trata de livre mercado, mercado regulado, capitalismo de estado, social-democracia etc. É fraude. Saímos do âmbito econômico e entramos no âmbito criminal.

    Mas como a justiça estatal nada fez, você ficou sem graça e saiu apelando para ataques generalistas. E, de novo, contraditórios.

    Olha o que você escreveu:

    "Mas sei que tem gente por aí que acha que vivemos o mundo fantástico em que conseguese tudo muito fácil num país chamado Ancapistão. Eles só não conseguem explicar como funciona esse país pois é uma abstração."

    Ué! Mas estamos falando de uma fraude ocorrida no Brasil, um país reconhecidamente estatista, e de mercado amarrado. Se esta fraude não foi coibida neste cenário, então, desculpe-me por quebrar seus sonhos, mas estamos perante uma clássico (e crasso) caso de fracasso estatal — a menos que você acredite que o Brasil é um ancapistão, o que já faz com que o seu caso seja de camisa de força.

    A função clássica do estado sempre foi a de prover segurança e justiça. Mas se ele fracassa exatamente nestes, então qualquer argumento para outras intervenções em quaisquer outras áreas se torna, por definição, completamente insensato.

    Portanto, pela última vez:

    1) Por que a justiça estatal não retirou o golpista de circulação, mesmo tendo várias provas contra ele e sendo esta exatamente a sua função?

    2) Esta ineficiência (ou leniência, como queira) é um argumento pró ou contra maiores intervenções do estado em outros cenários (que é o que você defende)?

    Não é muito difícil responder.
  • Mc Donnell  25/02/2022 01:39
    As coisas que você citou são crimes, e devem ser tratadas como tal. Não se trata de livre mercado, mercado regulado, capitalismo de estado, social-democracia etc. É fraude. Saímos do âmbito econômico e entramos no âmbito criminal

    Rapaz vc não sabe o básico.
    Do que vc tá falando exatamente? Que ações vc diz ser crime?
    Posso te falar uma coisa:
    mútuo com acionista NÃO é crime.
    Transferir dinheiro da empresa X a empresa Y sendo as duas empresas suas NAO é crime
    Você deixar os ativos da sua empresa sucatear NÃO é crime.

    Agora, me responda uma coisa já que vou responder as suas:
    Empregar uma pessoa pra trabalhar por 16 horas por dia pagando 10 reais por dia com o consentimento dela é crime?

    Empregar uma pessoa na minha empresa com dedicação exclusiva e sem dar férias nem décimo terceiro é crime?
    Aposto que vc acha que não, nem por isso dizemos que "saímos do âmbito econômico para entrar no criminal"

    1) Por que a justiça estatal não retirou o golpista de circulação, mesmo tendo várias provas contra ele e sendo esta exatamente a sua função?

    Porque temos um presidente que passa a mão na cabeça de 171.
    Bolsonaro fez live celebrando a Itapemirim.
    Bolsonaro baixou decreto que reduz as exigências pra alguém operar uma empresa aérea.

    Se você tem um presidente incompetente e a serviço do atraso, você vai colher atraso. Não tem jeito.

    Agora l, curioso você achar o cidadão um criminoso golpista e ao mesmo tempo defender bolsonaro. Isso é inconciliável. E eu sei que vc sabe disso. Mas tenho convicção que não admitirá.

    2) Esta ineficiência (ou leniência, como queira) é um argumento pró ou contra maiores intervenções do estado em outros cenários (que é o que você defende)?

    Você tem que ter uma regulação maior. Você tem que ter leis que permitam que se o empresário levou uma empresa a falência, os credores possam ir nos bens dos acionistas.

    E pro acionista não ocultar patrimônio, você tem que instituir um imposto alto de transmissão de bens, você tem que colocar um imposto elevado sobre herança pois assim vc diminui os incentivos de beneficiar terceiros e herdeiros com os bens frutos de fraude.

    Você tem que ter regulações que permitam que somente empresas com capacidade operem em setores estratégicos como os de aviação.

    Sinceramente, se depois de todas essas aulas você não aprender, eu sinto muito.
    No mínimo vc tem que realizar que precisa estudar mais e não sair falando groselha aí
  • Ex-microempresario  25/02/2022 22:36
    A primeira vez que o McDonnell falou em "dar aula" eu pensei "que cara arrogante". Mas, pensando bem, o termo é apropriado, já que as idéias dele estão exatamente no mesmo nível do estatizado ensino brasileiro.

    Analisando algumas coisas:

    "Empregar uma pessoa pra trabalhar por 16 horas por dia pagando 10 reais por dia com o consentimento dela é crime? "

    Não deveria ser (como pode haver crime com o consentimento da "vítima"?) mas é, porque aqui vigora o princípio de que não existem no país pessoas adultas e capazes de tomar decisões; existem apenas pessoas imaturas e irresponsáveis que precisam ser tuteladas pelo estado (curiosamente, o brasileiro imaturo e irresponsável torna-se maduro e responsável quando vira político e passa a mandar na vida dos outros).

    "Você tem que ter uma regulação maior. Você tem que ter leis que permitam que se o empresário levou uma empresa a falência, os credores possam ir nos bens dos acionistas."

    Isso com certeza vai realizar maravilhas para o nosso já pujante mercado empresarial. Que maluco vai investir em ações de uma empresa e colocar seu patrimônio pessoal como refém? A resposta, obviamente, é "ninguém", e aí entra a consequencia intencional: como "o mercado não atende as necessidades do povo", o governo deve fazê-lo, com a competência, eficiência e honestidade que já conhecemos.

    "...tem que instituir um imposto alto de transmissão de bens, você tem que colocar um imposto elevado sobre herança..."

    Claro, aumentar imposto sempre resolve tudo.

    "Você tem que ter regulações que permitam que somente empresas com capacidade operem em setores estratégicos como os de aviação. "

    O governo não consegue construir uma estrada ligando A a B sem estourar o orçamento, o prazo e ainda gerando alguns escândalos, mas o Mc acha que ele vai conseguir "regular" a vida financeira das empresas.

    Pelo menos a turma dele acha que avião é "setor estratégico" e comida não. Ainda bem, porque no dia em que o governo perceber que comida é fundamental e criar a comidabras e a ANC - Agência Reguladora da Comida, iremos todos passar fome.

    "No mínimo vc tem que realizar que precisa..."

    A menos que vc seja o Lulu Santos, usar o verbo "realizar" no sentido de "perceber" é de uma estupidez inominável.
  • Me Donnel  26/02/2022 11:52
    Nao deveria ser (como pode haver crime com o consentimento da "vítima"?) mas é, porque aqui vigora o princípio de que não existem no país pessoas adultas e capazes de tomar decisões

    Meu ponto é esse. Não dá pra usar a "carta" de que se é crime não tem relação com a economia e a discussão séria "outra".

    A definição do que é ou não crime evolui com o tempo e até de pais pra país, e ainda assim está sujeita a interpretação de tribunais e detalhes de cada caso específico.

    É isso que o Douglas não entende por lhe faltar o básico do básico

    Isso com certeza vai realizar maravilhas para o nosso já pujante mercado empresarial. Que maluco vai investir em ações de uma empresa e colocar seu patrimônio pessoal como refém? A resposta, obviamente, é "ninguém"

    Meu ponto é que você vir com argumentos de que o empresário que causar prejuízo vai pagar por ele é mentira.
    Se o empresário causa 500 de preju é só aportou 100 na empresa. Os outros 400 não eh mais com ele e segue o baile.

    Mas mais uma vez. O básico, que eu e vc entendemos, não é compreendido pelo Douglas que necessita de muitas aulas e conhecimento. Tempo de estudo mesmo

    Pelo menos a turma dele acha que avião é "setor estratégico" e comida não. Ainda bem, porque no dia em que o governo perceber que comida é fundamental e criar a comidabras e a ANC - Agência Reguladora da Comida, iremos todos passar fome.

    Por acaso faltam aviões no planeta?
    Aliás, tem algumas agências que cuidam da qualidade da comida ou do que deve ser explícito em embalagens.
    Posso ter certeza, sem elas comeríamos muito mais agrotóxicos só que já comemos.
    No Brasil então somos recordista por que temos uma orientação estatal de deixar fazer o que quiserem, e aí tem mais agrotóxicos na nossa mesa.
    Pro Douglas não, a pessoa olharia pra cara do feirante, pesquisaria sobre a vida dele e saberia se ele usa ou usou muito agrotóxico em alguma oportunidade e compraria em outra barraca e assim o mercado magicamente se regularia.

    A menos que vc seja o Lulu Santos, usar o verbo "realizar" no sentido de "perceber" é de uma estupidez inominável.

    Obrigado pelo elogio altamente embasado.
    Percebo que esgotaram os argumentos quando começam a atacar a forma de falar.
    As perguntas que me foram feitas eu respondi. Mas quando eu levantei umazinha fugiram.

    E quem não fugiu corroborou com meu ponto indiretamente, como o ex empresário.

    Só digo uma coisa: estudem para não passar vergonha.
    Dei muita aula aqui pra você, e vou assumir que o silêncio é pq entenderam tudo.
  • Intruso  26/02/2022 16:05
    "Meu ponto é que você vir com argumentos de que o empresário que causar prejuízo vai pagar por ele é mentira. Se o empresário causa 500 de preju é só aportou 100 na empresa. Os outros 400 não eh mais com ele e segue o baile."

    Ué, e os outros 400 vieram de onde? Do éter?

    Para começar, se o cara aportou 100 e a empresa teve 400 de prejuízo (vamos aqui, para o bem do debate, supor que tal contabilidade fantástica seja possível), então não só esse cara perdeu tudo o que investiu, como ainda está devendo 300.

    Situação tenebrosa. Mas o tal do McDonell diz que não só está tudo bem, como ainda afirma que a situação deste cara é invejável!

    Outra coisa: ainda que ele tenha aportado apenas 100 e a empresa tenha crescido espetacularmente ao ponto de um prejuízo de 400 (quatro vezes o capital investido) ser ok, ainda assim este cara está em pior situação (perdeu tudo o que investiu e ainda deve o equivalente a quatro vezes o total que investiu).

    Só que tem mais: os sócios dele (os outros acionistas) terão de arcar com tudo. E aí será uma briga interna entre eles. Problema deles. Eles que se virem para punir este cara por sua incompetência. No mínimo, ele estará queimado. Ninguém o quererá para administrar nem mesmo carrocinha de pipoca. Quem é comprovadamente incompetente não recebe muitas propostas de trabalho. Quem destrói capital dificilmente consegue viver bem em empregos altamente remunerados.

    Queria só entender por que a situação deste cara é "de boa".

    Aliás, de onde saiu esse sujeito?

    "Mas mais uma vez. O básico, que eu e vc entendemos, não é compreendido pelo Douglas que necessita de muitas aulas e conhecimento. Tempo de estudo mesmo"

    Rapaz, para levar a sério o que você escreveu acima realmente são necessárias "muitas aulas" e muito "tempo de estudo" mesmo. Só que eu quero distância deste professor…

    Nem li o resto da regurgitada. Resolvi poupar meu cérebro. Vai que pega…

    P.S.: a moderação deveria cuidar melhor da propriedade privada e não permitir que baderneiros com clara insuficiência intelectual venham poluir este que ainda permanece um dos raríssimos espaços de alto nível da internet.
  • Ex-microempresario  26/02/2022 20:28
    Dei muita aula aqui pra você, e vou assumir que o silêncio é pq entenderam tudo.

    Confirmando que não apenas o nível é o mesmo de nosso ensino estatizado, como a arrogância também.

    Não dá pra usar a "carta" de que se é crime não tem relação com a economia e a discussão séria "outra".

    A conversa era sobre economia e respeito a contratos e você vem com mimimi de trabalhador explorado. Sim, crime não tem relação com economia. Economia é regida por leis naturais, crime é definido por um grupelho de políticos. Os fundamentos da economia não se alteram de acordo com a vontade de A ou B, mas o conceito de crime sim. Então você não está respondendo nada, só está enrolando.

    você vir com argumentos de que o empresário que causar prejuízo vai pagar por ele é mentira.

    Não há nada parecido com isso naquilo que eu disse. Eu falei apenas que ninguém vai ser acionista de uma empresa se isso colocar seu patrimônio pessoal em risco. Você não entendeu nada e fica repetindo seus clichezinhos como um papagaio.

    Por acaso faltam aviões no planeta?

    Sim, faltam. Só aqui no Brasil existem dezenas de aeroportos onde não existe uma única linha comercial funcionando. Por quê? Porque o governo regulamenta, controla, carteliza e inviabiliza as soluções que o mercado poderia oferecer. Ficamos presos a três companhias que operam um oligopólio garantido pelo estado.

    sem elas comeríamos muito mais agrotóxicos só que já comemos.

    Beleza, continue acreditando que o papai governo cuida de você e que ele sabe quanto "agrotóxico" têm nas verduras que cada feirante do país vende. Como disse o Bismarck, quanto menos você souber como são feitas as leis e as salsichas, melhor você dorme de noite e menos incomoda a mamãe e o papai.

    Só por curiosidade, lembra da "Carne Fraca"? Já tinha uns dois anos que as empresas estavam fazendo lambança, e se a PF não fosse atrás por causa de uma denúncia, estaria assim até hoje, com a conivência e cumplicidade da sua querida agência.

    Obrigado pelo elogio altamente embasado.

    Não é elogio, é só uma aulinha conveniente para evitar que alguém que se acha tão inteligente passe vergonha.
    Outra dica: ficar mandando os outros estudar, ainda mais de forma tão repetitiva, é típico de adolescente. Evite.
  • Thiago Rodrigo Maia dos Santos  24/02/2022 20:27
    Na próxima reunião, o COPOM teria que meter os juros de uma pancada só em 20% ao ano.
  • thiago  24/02/2022 22:17
    www1.folha.uol.com.br/mercado/2022/02/eua-atacam-empresas-da-russia-mas-libera-negocios-de-petroleo-e-comida.shtml

    Joe Biden anunciou mais uma vez sanções "sem precedentes" contra a Rússia. Bloqueou negócios dos maiores bancos e empresas russas nos bancos dos EUA, inclusive da Gazprom, a gigante estatal de petróleo e gás. Mas o governo americano abriu exceções. Essas grandes empresas banidas da finança americana são autorizadas, por exemplo a fazer negócios relativos a energia (de exploração de combustíveis à produção, transporte etc.).

    Há exceções também para produtos agrícolas (a Rússia é grande exportadora), fertilizantes (interessa muito ao Brasil), remédios, equipamentos médicos, organizações internacionais e certos tipos de dívida, entre outras "licenças".

    Os mercados financeiros do mundo rico passaram a manhã em paniquito moderado. O barril de petróleo chegou perto de US$ 103 na metade do dia. Depois do discurso de Biden, de "paz na energia", caiu e fechou na casa dos US$ 95, em alta quase nenhuma em relação ao dia anterior. As Bolsas americanas, que despencavam, fecharam em alta, assim como os títulos da dívida do governo americano.

    "Entendo a dor que os americanos estão sentindo no posto de gasolina", disse Biden nas duas vezes em que anunciou retaliações contra a Rússia, na terça e nesta quinta-feira. Também falou em "maximizar" o prejuízo para os russos e "minimizar" os danos para americanos e aliados.

    Biden e o "Ocidente" querem evitar que o petróleo e o gás da Rússia parem de fluir para o restante do mundo, o que provocaria alta ainda maior nos preços da energia, o que teria consequências econômicas e políticas graves.

    O presidente dos Estados Unidos, pois, está dizendo que, além de não intervir com tropas americanas, não quer usar a arma de destruição em massa que tem nas mãos. Como deve estar evidente agora para todo mundo, manter o comércio de energia por ora é de interesse tanto da Rússia como do "Ocidente".
  • Felipe  24/02/2022 18:30
    Nos tempos coloniais, a região Nordeste era a mais próspera do Brasil. Todavia, desde o século XIX isso começou a mudar. O fato é que a criação da CLT enterrou de vez as perspectivas econômicas, mas o que aconteceu com a região durante o Império e a República Velha?
  • Constatação  24/02/2022 19:42
    Depois de 35 anos em regime celetista, abri minha MEI em uma hora e meia, e tanto eu como as pessoas a quem presto serviço estão satisfeitos. Menos burocracia, menos encargos, menos dinheiro (quase nenhum, na verdade) enviado a parasitas que nada produzem... e ainda sobra algum pra guardar e outro para movimentar a economia real. Nada mal
  • anônimo  25/02/2022 00:49
    Excelente.
  • anônimo  24/02/2022 19:45
    Eita guerra



    [Link]www1.folha.uol.com.br/mundo/2022/02/premio-nobel-da-paz-russo-critica-putin-e-pede-protestos-contra-a-guerra.shtml[/link]
  • Marionete do Nego Ney  25/02/2022 01:57
    Pessoal o que vocês acham das sanções que o Creepy Joe e seus colegas Europeus lançaram sobre a Rússia? Será que a já patética economia russa vai despencar de vez? E quanto aos bloqueios na parte de importação de chips e tecnologia em geral, será que vai doer muito?
  • Lopez  25/02/2022 13:11
    Tímidas. Tanto é que, tão logo foram anunciadas, o rublo se fortaleceu e a bolsa de Moscou se recuperou. Movimento que segue hoje.

    Mas também não há o que o fazer. A Europa em especial é totalmente refém. Ajoelharam-se perante o ambientalismo, fecharam todas as usinas nucleares, acabaram com o carvão e praticamente aboliram o gás natural em seu país. Hoje dependem totalmente da Rússia para se manterem aquecidos no inverno.

    Putin sabe disso e, não sendo bobo, faz o que quer.

    Esta guerra foi, na prática, possibilitada pelo ambientalismo. Esta é a realidade.

    E até foi, de certa forma, prevista aqui:

    Como a agenda ambientalista e a imposição do ESG estão causando uma crise energética global
  • Imperion  25/02/2022 16:17
    Como muitos falaram aqui, todo esse tempo a Rússia estava comprando ouro e moedas estrangeiras para fazer reservas.
    Putin ja planejava receber sanções. E elas são muito fracas. Agora ele tem todo tempo do mundo pra tomar a capital da Ucrânia e depois que isso ocorrer , vai depor o presidente, vai cocar um fantoche e as sanções nem vão arranhar.
    Ele vai ganhar tempo. Enquanto se aloja na Ucrânia externamente ele vai esperando os adversários se desgastarem e vai usando as reservas pra não desvalorizar muito o rublo. Com isso solavancos internos muito fortes não devem ocorrer e seu mandato na Rússia deve ficar estável.
  • Estudante  25/02/2022 04:57
    Esse economista esta viralizando entre os jovens, vale refutar ele em público, alguém precisa fazer isso:

    www.youtube.com/watch?v=zsoa44ibaEE&ab_channel=OperaMundi

  • anônimo  25/02/2022 10:15
    Ouro subindo. O verdadeiro ativo para segurança em tempos de crise.
  • Bob Fields  25/02/2022 17:21
    BTC vai suplantar...

    Apesar de ele (btc) despencar junto dos ativos de risco quando bate esses sustos, por uma má interpretação do mercado financeiro quanto ao que ele representa, existe uma mão invisível sempre empurrando forte pra cima em seguida.

    Inevitável.
  • Observador  25/02/2022 12:59
    R$102 bilhões de superávit primário fiscal em janeiro. E eu era otimista esperando R$80 bi…

    Em 12 meses temos 1,2% de superávit/PIB, dívida líquida de 56,6% e bruta de 79,6% do PIB. E tinha "especialista" dizendo que a dívida bruta iria para mais de 100% do PIB e que o teto de gastos estava morto.

    Confia...

  • anônimo  25/02/2022 16:15
    Já era esperado um superavit há mais de um ano, pois pelo menos o Guedes tava cortando gastos apesar da choradeira. Só que veio covid, fraudemia e juros a 2 por cento do BC e atrasou toda a escala. Os gastos explodiram e, com o fim do Orçamento de Guerra, agora voltam a cair.
  • Thiago Araújo  25/02/2022 13:39
    Leandro, por que as moedas da Bolívia e venezuela são mais valorizadas do que as do Uruguai e Paraguai? Sendo que Uruguai e Paraguai são mais desenvolvidos do que Bolívia e venezuela? (Até onde sei). Abraços
  • Leandro  25/02/2022 13:54
    Trata-se de uma confusão bastante comum. O alto valor nominal das cédulas de uma moeda não deve ser confundindo com moeda fraca. Uma coisa não tem nada a ver com a outra. O alto valor nominal das cédulas de uma moeda diz muito sobre o seu passado, mas não sobre seu presente.

    O iene japonês, por exemplo, tem um alto valor nominal (um real compra 22,57 ienes), mas trata-se de uma moeda forte. O alto valor nominal das cédulas do iene se deve a uma forte inflação ocorrida na Segunda Guerra Mundial. Ademais, a moeda é a mesma desde 1871, ao passo que o real é de 1994

    A moeda do Chile apresenta a mesma característica, pois vivenciou uma hiperinflação na década de 1970. Ambas não foram trocadas desde então, ao contrário da moeda brasileira.

    E há outros exemplos. A coroa sueca é de 1873. A coroa dinamarquesa é de 1875. Já o peso chileno é de 1975, mas passou por uma severa hiperinflação durante toda a década de 1970. Todas estas moedas têm valor nominal muito mais alto que o real, mas são muito mais fortes.

    (No caso do Japão, em 1972, imediatamente após a dissolução de Bretton Woods e a adoção dos câmbios flutuantes, um dólar comprava 305 ienes. Então o iene começou a se valorizar continuamente. Hoje, um dólar comprava apenas 115 ienes. Isso dá uma apreciação total de 165%.)

    Uma das definições de moeda forte é que sua unidade monetária valha cada vez mais em termos das principais moedas do mundo (a outra definição é que, obviamente, seu poder de compra em território nacional seja relativamente constante).

    É isso o que você tem de olhar, e não simplesmente o valor nominal das cédulas. Nesse aspecto (alto valor nominal das cédulas), dificilmente alguém bate o Japão. E, no entanto, o país tem uma moeda forte e inflação de preços zero.

    Sobre isso, e especificamente sobre sua pergunta, o guarani paraguaio é de 1943 (daí o alto valor nominal de suas cédulas). O peso uruguaio é de 1993 (mas a inflação do país é alta). O boliviano é de 1987, mas opera com fixo em relação ao dólar (medida acertada, e já comentada aqui várias vezes). Já o bolívar venezuelano já cortou simplesmente 14 zeros de sua moeda desde 2008. A moeda é um lixo e apenas comprova que valor de face nada tem a ver com a robustez da moeda.
  • Felipe  25/02/2022 17:11
    Como que, apesar de a inflação uruguaia ser alta, o país ainda ser um dos mais desenvolvidos na América Latina?
  • Observador  25/02/2022 17:26
    Baixa carga tributária, grande liberdade de negócios, muito investimento estrangeiro (pois há isenção para estes).

    E, convenhamos, a inflação do Uruguai não é lá muito diferente da brasileira.

    d3fy651gv2fhd3.cloudfront.net/charts/uruguay-inflation-cpi.png?s=uruguayinfnrate&v=202202031719V20200908&d1=20040125&d2=20220225&url2=/brazil/inflation-cpi
  • Flávio   25/02/2022 22:29
    Também nunca compreendi o caso uruguaio. O peru por exemplo tem o mesmo grau de liberdade econômica do uruguai
    www.theglobaleconomy.com/rankings/economic_freedom/South-America/

    O peru tem uma inflação bem mais baixa que o Uruguai nos últimos 10 anos.
    Peru na média de 3%, Uruguai uns 8% nos últimos 10 anos
    tradingeconomics.com/peru/inflation-cpi
    tradingeconomics.com/uruguay/inflation-cpi

    A carga tributária é menor no Peru. No Uruguai, esse percentual é de 24%, no Peru, de 17%
    [link]www.bbc.com/portuguese/lg/noticias/2009/05/090519_cepal_mc_ac[/link

    No entanto, o idh é absurdamente pior no peru do que no Uruguai
    www.br.undp.org/content/brazil/pt/home/idh0/rankings/idh-global.html

    Era pro Peru ser muito mais desenvolvido. Mas fato é que mesmo com mais inflação, maior carga tributária e um grau de liberdade econômico bem mais ou menos é equivalente ao do Peru, o Uruguai
  • Augusto  26/02/2022 00:31
    O Uruguai sempre foi o segundo mais livre da América do Sul.

    Não havia imposto de renda até 2007. "Curiosamente", depois que impuseram um, a economia estagnou.

    Entretanto, o ambiente para negócios sempre foi bem propício. E transparente. Segundo a Heritage Foundation:

    Contracts and secured interests in property are recognized and enforced by law. Most land has a clear property title. The judiciary is transparent and independent, but the courts function slowly and can be subject to intimidation. Transparency International ranked Uruguay the least corrupt Latin American country in its 2020 Corruption Perceptions Index. Anticorruption statutes are enforced to prevent bribery and other corrupt practices.

    […]

    Regulations in Uruguay are among the most transparent in South America. Political and macroeconomic stability, geographical location, and government incentives to invest are advantages for business development and operation. Labor costs are high, however, and aggressive union and labor conflicts do arise.
  • Imperion  26/02/2022 01:07
    O Uruguai teve 100 anos de liberdade pra se desenvolver. Não se perde isso fácil. Já o Peru só entrou no ranking de liberdade agora. Era um Brasil menor em tamanho. Só de alguns anos pra cá subiu no ranking.

    A liberdade é crescimento constante. As medidas de liberdade melhoram o ambiente lá, como fizeram com o Chile, que quase entrou pro rol de países desenvolvidos, pois essas medidas estão em vigor lá há décadas. Mas de dois anos pra cá, desceu no ranking.

    Assim sendo o Peru chegará lá, se não reverter as políticas libertárias. O Uruguai reverteu, mas vai demorar muito para ele piorar. É necessário aplicar politicas sociais em "grande escala" para o país virar uma Venezuela. Esta foi de um grande PIB a mendigo em meros vinte anos, por aplicar a cartilha social-democrata (comunismo travestido) em grande escala, num roubo de renda e propriedade sem precedentes.

    Então é enganoso vc analisar que o país "está bem no ranking de liberdade" e "deveria estar rico". O ranking de liberdade mede as condições, não a riqueza do país. O país fica rico se o governo deixa o povo produzir, que é a liberdade deste.

    Então o Peru deve subir em riqueza numa comparação consigo mesmo. E o Chile deve descer em riqueza proporcionalmente à liberdade perdida. Tudo no longo prazo.
  • Flávio  26/02/2022 11:15
    100 anos de liberdade pra se desenvolver e tá atrás de diversos países ex soviéticos que tiveram aí uns 90 anos de estatismo puro, zero de liberdade é muito planejamento centralizador estatal do mais puro suco do comunismo.
    E não é só um país não… vários dos ex comunistas estão bem à frente.
    Não dá pra entender isso
  • Henrique  26/02/2022 15:06
    As informações dos cavalheiros acima não estão corretas. O Uruguai era uma favela até o fim da década de 1960. O país era tão pobre que até Henry Hazlitt ficou negativamente impressionado e escreveu a respeito.

    www.hazlitt.org/e-texts/wisdom/ch30.html
  • AGB  28/02/2022 14:37
    Conheço o Uruguai desde 1952 e posso refutar a opinião de Hazlitt. Até a Guerra do Paraguai o país vizinho era um território em disputa entre Brasil e Argentina, dominado por caudilhos diversos. Após 1870 conseguiu uma relativa estabilidade política e cresceu economicamente baseando-se na produção e exportação de trigo, carne bovina e lã para a Europa. Esse desenvolvimento foi ajudado pela grande imigração de europeus, principalmente italianos e espanhóis. Também poude criar uma pequena estrutura industrial, basicamente de alimentos, vestuário e material de construção. A depressão mundial de 1930 seguida pela 2ª guerra interrompeu esse ciclo favorável. O retôrno da paz modificou substancialmente as trocas internacionais e, tal como a Argentina, o país estagnou. Além disso, a bonança inicial estimulou o crescimento do funcionalismo estatal e um sistema de aposentadorias inviável de sustentar. Para o visitante brasileiro o Uruguai parecia estar em 1930: tudo muito limpo e cuidado mas vetusto. Casas imponentes e antigas, bondes elétricos, carros velhos e por aí vai. Mas como gozava de grande liberdade econômica serviu como refúgio fiscal, principalmente para os portenhos que desejavam escapar das opressões do peronismo.
  • Marcelo  26/02/2022 01:09
  • Felipe  27/02/2022 14:25
    "Governadores criticam corte de IPI feito por Bolsonaro"

    O Bolsonaro deveria ter feito isso lá em 2019, mas de qualquer forma é uma maravilha (corte de 25 % no IPI).

    Agora tem político entrando com ação para o TSE para barrar essa redução e tem gente da ZFM reclamando de que esse corte vai migrar investimentos para outros estados brasileiros. Estão vendo como que a mentalidade mercantilista só atrasa o País?

    Nos EUA, vários foram os governadores que cortaram os impostos para incentivar a recuperação econômica (acho que até os que embarcaram em trancamentos). Por que no Brasil tem que ser diferente? Por que aqui os governadores aumentam os impostos? Qual a lógica?
  • 4lex5andro  03/03/2022 19:39
    Tem que pegar os nomes, um a um, e junto suas bases legislativas.
    E brocar no twitter , face, zap, pra dar um block nessa turba que defende o establishment... ou nomenklatura a moda Brasil... esse sim, seria um ''cancelamento'' do bem...
    Conscientizar ao máximo, pra fazer mover a janela de Overton mais ainda em outubro.
    O país está mais leve apesar das guerras provocadas pela Eurásia, o Brasil vem se ajustando apesar da ingerência de outros poderes... e com apoio da mídia mainstream...
    Privatizações, redução da burocracia, pix, marcos dos portos e do gás...
    O país pode melhorar ainda mais, e com mais liberdade, até 2026, o Brasil precisa disso pra ontem.
  • 4lex5andro  03/03/2022 19:44
    O BRL virando hedge.
    Voltando ao patamar de R$ 5,0o (quase, foi R$ 5,02 hoje), depois de quase nove meses... e 0,60 centavos abaixo da cotação de 1/março do ano passado.

    O TCU já liberou as vendas de Eletrobras e Correios (bem como Ceitec, Codesa, Liquigas por ex. foram vendidas), em maio, as propostas do planalto estão no congresso , junto da ref. tributária, resta o 'parLamento' emendar (ou não) e votar...
    O Brasil deve se endireitar e desestatizar ainda mais em outubro de 2022.
  • Leandro  03/03/2022 22:33
    O Banco Central, depois de dois anos pavorosos, passou a fazer tudo certo.

    Só que, infelizmente, muito tarde. Era para ter começado em meados de 2020 (como sempre cantamos aqui), ou, no mais tardar, ao fim daquele ano.

    Bom, em todo caso, que ele persevere.
  • Imperion  04/03/2022 02:03
    Espero que mantenham isso até as eleições. Dá pra recuperar a economia e o povo perceber que foi o orçamento pra sustentar o "fique em casa" que levou o país à crise dos dois anos atrás.
    Isso reduz a probabilidade da volta da esquerda, o que irá desfazer o pouco de liberdade que se conseguiu no governo bolsonada.
  • Fernandes  06/04/2022 16:47
    Se o real continuar valorizado frente ao dólar, chance do Bolsonaro ser reeleito no 1° turno.
  • Eduardo Sousa  28/02/2022 11:13
    - Cortou 90 mil cargos.
    - Cortou alguns ministérios
    - Menor taxa de recontratação de funcionários públicos da história recente
    - Revogou mais de 22 mil atos normativos ineficazes e desatualizados.
    - Permitiu portos privados a operar carga de terceiros. Hoje, os portos privados operam 2 terços das cargas no Brasil.
    - Modernização de serviços do governo, automatizando 1600 serviços. Sabe estas coisas que você só consegue resolver pegando fila na repartição pública? Muitas destas coisas agora são online.
    - Plataforma PIX do Banco Central agora permite transferências bancárias rápidas e sem custo.
    - Centenas de itens com impostos reduzidos ou zerados, incluindo gás de cozinha, algumas máquinas, games, energia solar e produtos médicos. Redução do IPI para carros e eletrodomésticos.
    - Dezenas de acordos bilaterais com outros países fortalecendo o comércio exterior.
    - 4,7 MIL serviços públicos disponíveis na plataforma gov.br, desenvolvida pelo Serpro para a Secretaria de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, do Ministério da Economia;
  • Felipe  06/03/2022 14:58
    Nesse ano, o governo publicoudecreto que muda o Código de Mineração. De fato é supply-side ou é apenas uma propaganda governamental?

    O inteiro teor do decreto está aqui.

    Talvez eu tenha que escrever uma segunda parte desse artigo...

    Tem várias outras coisas que podem ser mencionadas, tais como:

    - Governo revogou a proibição de querosene TEC-A (sim, o querosene mais barato e usado no mercado internacional era proibido de ser usado aqui);
    - Resolução ANP Nº 858, de 5 de novembro de 2021, que passa a autorizar a revenda de gasolina C e etanol hidratado pelas chamadas TRRs (transportadores-revendedores-retalhistas), que antes podiam vender somente Diesel e produtos como óleos lubrificantes, além da autorização de delivery de combustíveis.
    - Portaria ANP nº 86 de 20 de dezembro de 2021. No ano passado aprovaram a chamada Agenda Regulatória 2022 – 2023 que, entre outras coisas, prevê uma regulação menos onerosa sobre os setores envolvidos, visando tirar barreiras a novos entrantes.
    - Alguns resultados da desburocratização do setor aéreo. Ainda é longe do Jimmy Carter, mas está bom.

    Acho que é por isso que o preço do álcool está tão baixo em Ribeirão Preto...
  • anônimo  24/03/2022 22:20
    Enquanto isso...

    Governo prepara MP para combater "camelódromo virtual", com foco em varejistas gringas


    O governo federal prepara uma medida provisória (MP) para combater o "camelódromo virtual", como são conhecidas pelo mercado as plataformas estrangeiras de varejistas que estariam importando produtos falsificados ou sem o devido pagamento de impostos.

    Segundo o jornal Valor Econômico, a MP que está sendo preparada pela Receita Federal é fruto da ação de grandes varejistas brasileiras e indústrias que têm como foco uma ofensiva contra empresas como Shopee, Alibaba (BABA34), Shein, AliExpress, Wish e Mercado Livre (MELI34).

    Na prática, segundo essas varejistas, as mercadorias das plataformas estrangeiras entram no Brasil por meio do comércio eletrônico sem pagar impostos, com falsas informações fornecidas pelos vendedores. Pessoas físicas, dizem as empresas brasileiras, podem, por exemplo, comprar produtos no exterior de outras pessoas físicas sem pagar impostos. A legislação autoriza que itens que custem até US$ 50 (cerca de R$ 250) não paguem imposto para ingressar no país, desde que sejam endereçados a pessoas físicas.

    Além disso, as grandes varejistas identificaram que algumas dessas empresas estrangeiras subnotificam o valor das mercadorias, no caso de produtos que custam mais de US$ 50, para justamente não pagar os impostos.

    O CEO da Multilaser (MLAS3), Alexandre Ostrowiecki, disse na quarta-feira (23), durante um evento realizado pela Frente Parlamentar pelo Brasil Competitivo em Brasília, que a intenção é ter "regras iguais para todos".

    "Ninguém está falando em proteger empresas nacionais, mas simplesmente em ter regras iguais para todos. São as grandes plataformas da Ásia que se aproveitam de brechas na lei", argumenta.

    Para driblar a lei, afirmou, as varejistas fazem compras 'picadas' para atingir o limite de US$ 50 para revendê-los nos País.

    Ostrowiecki apresentou ainda, durante o evento, dados da própria Receita Federal que apontam mais de 700 mil dessas encomendas por dia que chegam ao Brasil, o que significa uma perda tributária de R$ 80 bilhões ao ano.

    (...)

    www.suno.com.br/noticias/governo-prepara-mp-para-combater-camelodromo-virtual-com-foco-em-varejistas-gringas/
  • Felipe  25/03/2022 00:35
    Lamentável é ver o Alexandre Ostrowiecki ter essa postura protecionista e mercantilista. O mesmo que no Ranking dos Políticos defende alegadamente a liberdade econômica.

    Mas assim, de todo modo, não me surpreendo.

    Eles não querem mais liberdade econômica para o mercado doméstico; querem menos liberdade econômica para empresas estrangeiras.

    Não sei se ele vai apoiar essa MP também, mas o Luciano Hang abertamente fala em medidas protecionistas. Quero distância.
  • Kennedy  25/03/2022 08:24
    Esse é o ápice do liberalismo que as esquerdas, de pé junto, juram que foi implementado no Brasil.

    Também quero ver a reação dos Bolsominions desse site quanto a isso.
  • Artista Estatizado  25/03/2022 15:05
    A única reação aceitável é chamar de comunista e pressionar para que pare de fazer lobby a favor desse tipo de medida. Qualquer outra coisa é passada de pano.
  • Estado máximo, cidadão mínimo.  26/03/2022 08:44
    Reparem que nenhum foi lá pedir diminuição de tributos pra todos. Por isso que volta e meia digo que esse sistema tributário e burocrático vigente é a melhor barreira de defesa desses mega-empresários. Já o Ostrowiecki deveria se preocupar em oferecer produtos de melhor qualidade. Há uns meses comprei um teclado dele em que várias teclas não funcionavam. Voltei à loja e troquei por de outra marca.
  • Felipe  26/03/2022 17:04
    Essa proposta de modernização nas relações de trabalho na prática é uma nova desburocratização nas leis trabalhistas ou é só uma propaganda governamental?

    Há também essa outra medida.

    Os demais itens do programa constam aqui.

    Chama a atenção a burocracia trabalhista. Heróis são aqueles que ainda têm coragem de contratar empregados.
  • Felipe  31/03/2022 15:04
    Olhem que notícias boas:

    - Taxa de desemprego brasileira ficou em 11,2 % em fevereiro, melhor do que o esperado pelo mercado (11,4 %), bem perto dos valores pré-lockdowns. Milagre econômico?
    - 328,5 mil novos empregos no mesmo mês, também acima das expectativas;

    Apesar de esperarmos uma recessão pela frente por causa do choque monetário, é ainda notório esse desempenho econômico no País.
  • Vladimir  31/03/2022 15:41
    Tinha uma turminha que vivia vindo aqui dizer "Ai, a reforma trabalhista não adiantou nada!"

    Eis o gráfico da evolução do número de pessoas empregados. O traço vertical mostra a data da aprovação da reforma trabalhista.

    ibb.co/sKRdMM4

    A questão é: terão a hombridade de reconhecer o erro?
  • Felipe  01/04/2022 17:55
    O interessante é que alguém pode falar que em 2014, como o desemprego estava menor, então quer dizer que a reforma trabalhista do Temer foi ruim para os empregados.

    Mas não é assim: em meados de 2014 ainda estávamos no início do fim de um ciclo econômico. Nessa época, os bancos estatais estavam jorrando crédito a rodo. Ou seja, muitos empregos gerados de maneira artificial. As demissões são caras, por isso normalmente estão entre as últimas coisas que um empregador irá fazer.

    Agora é o seguinte: nesse ínterim, não sei se a metodologia das estatísticas se alterou.

    Eu prefiro uma economia produtiva e com maior taxa de desempregados do que uma economia amarrada e com menor taxa de desemprego.

    Por exemplo, a taxa de desemprego boliviana é mais baixa do que no Brasil (últimos dados lançados apontam 6,9 % de desempregados). Isso quer dizer alguma coisa? Não. Lá a economia informal reina e isso não pressiona as estatísticas de desemprego. Aliás, a informalidade é a única coisa que sobrou lá para se respirar (até o Evo Morales sabia disso). É o que podemos esperar também do México, onde há também muita informalidade, mais do que aqui no Brasil.
  • Bluepil  31/03/2022 16:58
    A indústria está voltando á crescer e novos investimentos estão sendo feitos, e é possível que o Bonoro acabe reeleito se não houver qualquer grande marmelada ou recessão global daqui para frente. A crise atual do petróleo prejudica e afeta a economia como um todo, mas também não simboliza tudo, sinalizando que as reformas econômicas de maior livre-comercio, assim como uma economia em alta, que trás maior expectativas, estão fazendo bastante efeito.

    Agora que a histeria do covid sumiu (mesmo com o covid e suas variantes ontinuando á circular; aparentemente as elites autoritárias aceitaram que esse vírus ficará entre nós igual qualquer outra doença) a economia pode voltar á rodar com vigor, e com a moeda atualmente se valorizando.
  • Bruno Souza  20/04/2022 13:41
    Redução na burocracia facilita instalação de filiais de empresas estrangeiras no Brasil

    www.gazetadopovo.com.br/economia/reducao-na-burocracia-facilita-instalacao-de-filiais-de-empresas-estrangeiras-no-brasil

    O número de empresas estrangeiras que solicitaram instalação de filiais no Brasil atingiu marca recorde em 2021, de 36 pedidos. Segundo o governo federal, a redução da burocracia do processo, como resultado da digitalização de uma série de serviços públicos, foi responsável pelo feito. Apenas na gestão do presidente Jair Bolsonaro (PL), 99 empresas pediram para abrir filiais no Brasil.

    O Ministério da Economia afirma que o tempo médio de análise de pedidos dessa natureza caiu de 45 dias para apenas três. Antes da digitalização, por outro lado, era preciso entregar toda a documentação solicitada em duas vias, pessoalmente ou por meio dos Correios, ao Departamento Nacional de Registro Empresarial e Integração (Drei), vinculado à pasta.
  • Felipe  20/04/2022 14:56
    Isso é maravilhoso. Quando é que tivemos isso no Brasil? Talvez nunca.

    Ainda há coisas burocráticas a serem varridas, mas esses passos tomados já estão dando resultados. Só não gosto dessa plataforma gov.br que tem até uma espécie de premiação, como se fosse um sistema de crédito social chinês. É verdade que essa digitalização começou ainda no governo Temer, mas o Bolsonaro não apenas continuou, como intensificou as medidas.
  • Curioso  20/04/2022 20:32
    Felipe qual seu site?
  • Felipe  20/04/2022 21:51
    Você pode vê-lo aqui.
  • Felipe  23/04/2022 23:19
    Tempos atrás, o Sr. Doria vetou a lei de liberdade econômica estadual.

    Todavia, nesse dia 12 foi sancionado o chamado Código de Defesa do Empreendedor, pelo governador em exercício Rodrigo Garcia. Foi publicado no DOE e valerá em julho.

  • Bruno Souza  29/04/2022 13:41
    Saiu hoje a PNAD da taxa de desemprego no Brasil. Esperava-se 11,4% e veio 11,1%.

    É um desemprego menor do que antes da pandemia. Aliás, é o menor desemprego desde o primeiro trimestre de 2016. E no meio de uma pandemia.

  • Guilherme  29/04/2022 14:03
    Lula e Alckmin ficam de pé para ouvir o hino da Internacional Socialista. Faça o mesmo vocês também, de pé e com a mão no peito, por favor:

  • Bruno Souza  29/04/2022 14:10
    Que nojo! Estão em pé prestando continência a uma ideia que gerou 200 milhões de cadáveres. E tudo certo...

    Já falei aqui várias vezes: esse ano a escolha não é entre Bozo ou Barba, mas sim entre Bozo ou Barbárie. Não lavem as mãos perante isso.
  • Régis  29/04/2022 14:20
    Se tem um cara que acertou absolutamente todas as previsões políticas no Brasil, e com décadas de antecedência, é Olavo de Carvalho. Todo esse Teatro das Tesouras aí já havia sido cantado por ele desde o início da década de 1990. Não errou uma, impressionante. E quanto mais ele acertava, mais a mídia o odiava.
  • Rafael  29/04/2022 14:48
    "PSDB é de direita e PT é de esquerda".

    Quem mais ouviu isto 30 anos? KKKK

    Alckmin ouve 'Internacional Socialista' ao lado de Lula e diz que ficou à vontade
  • Paulo Freire  29/04/2022 16:29
    Não é porque Lula canta hino comunista, fala que vai regular preços, promete controlar redes sociais, revogar reforma trabalhista, regular a mídia e desarmar ainda mais a população que o Brasil vai virar uma Venezuela

    Parem de espalhar fakenews e discurso de ódio
  • Estado máximo, cidadão mínimo.  29/04/2022 16:25
    Bem que as vovós já diziam: " Meu fí, cê ainda vai ver coisa..."
  • Felipe  29/04/2022 17:26
    Foi em 2020 que eles alteraram a metodologia dos dados de desemprego? Daria para comparar, mesmo com metodologias distintas?
  • Gustavo  29/04/2022 19:03
    Lembrando que a taxa de desemprego mensurado pelas empresas está em 8%. Mesmo valor de 2011, auge do boom mundial.

    valor.globo.com/brasil/noticia/2022/04/04/taxa-alternativa-ve-desemprego-menor.ghtml
  • Bruno Souza  04/05/2022 15:54
    Índice da atividade do setor de serviços no Brasil: recorde histórico absoluto.

    tradingeconomics.com/brazil/services-pmi

    forbes.com.br/forbes-money/2022/05/setor-de-servicos-do-brasil-cresce-em-abril-no-ritmo-mais-forte-em-15-anos-mostra-pmi/

    A recuperação foi muito mais robusta que o V prometido pelo Guedes. Não é à toa que você não encontra nada vazio no Brasil. Tudo cheio.

    Em outubro, é Bozo ou Barbárie.
  • Aprendiz de EA  04/05/2022 17:22
    Significa que o aperto monetário não está fazendo lá grandes efeitos sobre o consumo da população, né? Parece um paradoxo.
  • Trader  04/05/2022 17:53
    Ainda tem espaço para apertar muito, assim como ainda tem espaço para mais subida de preço.

    Lembre-se: só em 2020, a oferta monetária cresceu 50%. Em um único ano. Hoje ela parou de crescer, mas ainda nem começou a ser enxugada.

    Enquanto este dinheiro não terminar de percorrer toda a economia, a demanda continuará aquecida.
  • Felipe  04/05/2022 22:03
    Eleitoralmente seria melhor para o Bolsonaro essa recessão vier para 2023.
  • anônimo  05/05/2022 01:33
    "Significa que o aperto monetário não está fazendo lá grandes efeitos sobre o consumo da população, né? Parece um paradoxo."

    E por que estaria? Demora muito para a base monetária de uma economia ser enxugada, e o crescimento de 50% da base monetária ainda está causando efeitos de inflação em toda a economia.

    Só começará a haver efeitos de diminuição de demanda quando a população começar a poupar mais, o que geralmente é o que ocorre quando a base monetária está parada, pois haverá menos dinheiro para os bancos emprestarem, e assim os juros bancários crescem. Com menos empréstimos, as pessoas passam a poupar visando o longo prazo, diminuindo assim os juros desse prazo, e com isso investimentos de longo-prazo também surgem.
  • Paulo  04/05/2022 21:31
    Isso bate com o que eu tenho visto na minha cidade. Shoppings lotados.
    Estranhei com o que eu deveria esperar com os preços em alta e a alta dos juros; Parece que não existe crise nenhuma.

    Mas sei que ainda deve ser efeito da politica monetária anterior, como o Trader disse; Ou há algo que eu não peguei
  • Bruno Souza  05/05/2022 16:29
    MP de Modernização de Cartórios aprovado na Câmara. Medida contra oligopólios protegidos pelo estado, a favor dos mais pobres e da desburocratização, do aumento da segurança jurídica e da transparência.
  • Bruno Souza  12/05/2022 14:59
    O setor de serviços cresce muito acima das expectativas em março, sobe 11,4% em relação a março e chega ao maior nível desde 2015.

    www.cnnbrasil.com.br/business/setor-de-servicos-cresce-17-em-marco-e-alcanca-maior-nivel-desde-2015-diz-ibge/
  • Trader  12/05/2022 15:31
    Foi o maior aumento para março de toda a série histórica.
  • Paulo  12/05/2022 20:37
    Não entendi isso. Os preços estão em alta.. Os juros também.
    O dolar deu uma diminuída mas não fez milagre.
    Gasolina subindo.

    Será efeito ainda da politica monetária anterior, ainda circulando sobre a economia?
  • Yuri  12/05/2022 23:25
    A explicação está no próprio artigo acima.
  • Imperion  13/05/2022 12:59
    Nunca se imprimiu tantos reais quanto nos dois últimos anos. Até mais que nos anos 80. Por isso o controle com juros altos é só um paliativo. Provavelmente a taxa mínima pra zerar esse dinheiro todo é acima de 18 por cento. E ainda estamos em 12,75. Então teremos desaceleração da inflação. Não zeragem dela.
  • Felipe  13/05/2022 17:49
    Não, na década de 1980 era pior. Tivemos períodos com subida de 500 % no M1.
  • Felipe  22/05/2022 20:54
    "Bolsonaro descarta assinar MP para taxar compras em aplicativos internacionais"

    Parabéns Bolsonaro, por não ter cedido às pressões dos mercantilistas.

    Vai ter gente se dizendo liberal, defendendo essa MP e que vai pedir o seu voto nesse ano.

    Agora está parecido ao Gustavo Franco.
  • Bruno Souza  24/05/2022 18:15
    Intenção de consumo em maio sobe 4,4% ante abril e atinge maior patamar em 2 anos


    valor.globo.com/brasil/noticia/2022/05/24/intencao-de-consumo-em-maio-sobe-44percent-ante-abril-e-atinge-maior-patamar-em-2-anos.ghtml


    Ao BC, economistas falam de PIB 2022 acima de 2%

    São Paulo, 23/5/2022 - As expectativas para o crescimento econômico brasileiro dominaram a 87ª reunião do Banco Central (BC) com economistas do grupo 1, realizada na manhã de hoje, a primeira sob o comando do novo diretor de Política Econômica da autarquia, Diogo Guillen.

    Segundo fontes que acompanharam o encontro, as projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) de 2022 já se aproximavam de 2,0% - o dobro da mediana da última pesquisa Projeções Broadcast -, e alguns analistas falaram em números ainda mais fortes.

    "Muita gente falou de crescimento acima de 2,0% este ano, e podendo chegar a 3,0%, a depender do resultado do primeiro trimestre, que deve ter vindo muito bem", disse um analista que participou da reunião e falou com a reportagem sob a condição de anonimato. "A sensação que eu tenho é que os economistas estão esperando o PIB do primeiro trimestre para revisar para cima a projeção de 2022."
  • Bruno Souza  25/05/2022 17:22
    Empresas têm resultados robustos no 1º tri, com lucro e receita superando estimativas, diz XP

    A instituição destaca que 62% das companhias que compõem o Ibovespa tiveram lucro operacional acima do esperado, enquanto em receitas a porcentagem foi de 47%

    valor.globo.com/empresas/noticia/2022/05/25/empresas-tm-resultados-robustos-no-1-tri-com-lucro-e-receita-superando-estimativas-diz-xp.ghtml
  • Imperion  24/05/2022 19:07
    No Brasil poste mija no cachorro.
    Juiz aceita denúncia que foi Sergio Moro que causou "prejuízo" na Petrobras.

    E os lobistas com medo de perder a bocada

    www.infomoney.com.br/mercados/dolar-digital-pode-acabar-com-os-bancos-alertam-lobistas-de-wall-street/amp/?espv=1
  • Leandro  24/05/2022 19:17
    Bizarro.

    Durante a gestão Dilma, o governo obrigou a Petrobras a vender para as distribuidoras gasolina e diesel abaixo do preço pelo qual foram importados.

    A empresa, que é estatal, teve de queimar seu patrimônio para manter esta política. Na prática, a empresa pagava para produzir.

    Obviamente, ela só fez isso porque era estatal. Nenhuma empresa normal poderia se dar a este luxo.

    Como consequência, o preço de suas ações, que havia chegado a R$ 44 em 2008, caiu para R$ 4 ao fim de 2015.

    No total, a estatal teve um prejuízo de R$ 70 bilhões. E este prejuízo se deveu exclusivamente ao fato de ter sido obrigada a produzir com preços congelados. Petrolão e outras mutretas não entram na conta.

    A coisa foi tão escabrosa que até mesmo Lula veio a público reconhecer o erro, algo totalmente atípico:

    Governo se equivocou ao congelar preço gasolina, diz Lula

    Ou seja, o próprio Lula refuta essa ação do PT. Ele deveria ser convocado como testemunha de defesa do Moro.
  • Lucas  25/05/2022 02:25
    Por falar nisso, já passou da hora da Petrobras reajustar o preço da gasolina nas refinarias - deveriam ter reajustado junto com o preço do diesel, no último dia 10.

    O preço médio cobrado pela Petrobras nas refinarias continua em R$ 3,86, enquanto a média dos últimos 63 dias úteis (um trimestre) no mercado internacional já está em R$ 4,41. Para que o preço cobrado nas refinarias fique acima da média móvel trimestral, seria necessário um reajuste de mais de 14%. E a média não para de subir. Quanto mais tempo segurarem isso, pior será!

    www.tradingview.com/x/uDXPI9Vd/

    Os lucros supostamente "exorbitantes" da Petrobras, em tese, podem até ajudar a segurar esse aumento. Mas o problema é que está havendo escassez de gasolina no mercado e manter os preços artificialmente baixos é um estímulo ao consumo de algo que está escasso, indo na contramão do bom senso.

    O preço do diesel ainda está acima da média móvel, mas prestes a ser superado:

    www.tradingview.com/x/v8z0Ke1T/
  • Bruno Souza  27/05/2022 21:20
  • Felipe  27/05/2022 23:15
    As sanções econômicas são ruins não apenas porque elas são uma forma de lockdown no comércio internacional, mas também porque elas causam escassez e prejuízos.

    Isso não quer dizer que eu goste do Putin. Ele sempre foi um imprestável e um estatista autoritário. E que culpa que os produtores russos de fertilizante possuem se o governo decide embarcar em aventuras militares? É um coletivismo.

    Não tenho a mínima ideia do que faria no lugar do Bolsonaro. Acho que condenaria os ataques porque foram uma agressão, mas não iria querer apoiar sanções econômicas.

    No que as sanções econômicas melhoraram para os cubanos, iranianos e venezuelanos? Agora a polêmica é essa questão das sanções do governo americano contra a Venezuela. Por mim deveria tirar todas. Só não pode é financiar diretamente a ditadura chavista. Só que aí o esquema é curioso: a produção interna de petróleo americano continua tendo distúrbios, por causa dos cancelamentos de leilões.
  • Bruno Souza  31/05/2022 13:07
    Taxa desemprego PNAD:

    Esperada: 11,00%

    Resultado: 10,50%

    Desemprego beijando um dígito.

    Menos valor desde primeiro trimestre de 2015, com PANDEMIA E GUERRA.

    Aliás, desemprego derretendo, país crescendo 3.00%, arrecadação monstra com dívida/PIB despencando (a dívida bruta está em 78,3% do PIB, quando toda a mídia previa estar em 100% do PIB; e dívida líquida está em 57,9% do PIB).

    Tudo isto com Selic a 2 dígitos.

    Aceitem: o PIB mudou de mãos.

    Em outubro agora, é Bozo ou Barbárie.
  • Bruno Souza  31/05/2022 13:30
    Detalhe: da pandemia até hoje, foram 9 milhões de novas vagas de trabalho criadas, e o contigente de pessoas ocupadas é recorde: 96,5 milhões.

    Aguardo o choro dos que dizem "Ain, mas a reforma trabalhista não criou um emprego..."
  • anônimo  31/05/2022 16:41
    E ela irá diminuir ainda mais quando o salário mínimo finalmente for abolido, junto a todo o aparato burocrático e assistencialista que caminha junto, como o INSS, dando espaço para contratos livres e sem regulações estatais que só atrapalham as contratações. Isso sim seria uma reforma trabalhista ideal.

    Porém isso é apenas um sonho distante, quase impossível de ser realizada, e por causa disso as contratações informais permanecerão fortes.
  • Bruno Souza  02/06/2022 13:36
    PIB cresce 1% no primeiro trimestre de 2022, e o IBGE ainda revisou para cima o PIB do 4o trimestre de 2021. Ou seja, o crescimento de 1% do primeiro trimestre se deu em cima de uma base revisada para cima.

    valor.globo.com/brasil/noticia/2022/06/02/ibge-revisa-e-aponta-crescimento-maior-do-pib-no-4o-trimestre-de-2021.ghtml

    Detalhe: não há mais dois trimestres de queda em 2021. O PIB do terceiro trimestre foi revisado de "queda" para "expansão".

    Lembram da mídia falando de "recessão técnica" no ano passado (quando o PIB cresceu quase 5%)? Pois é, fake news.

    Haverá retratação? Nenhuma.

    No acumulado de quatro trimestres — isto é, do segundo trimestre de 2021 até hoje — o PIB cresce 4,7%.

    Repito: PIB está crescendo 4,7% tomando por base um cenário já pós-pandemia. Ou seja, não se está falando de uma base deprimida, mas sim de uma já normalizada.

    Em outubro agora, é Bozo ou Barbárie.
  • Bruno Souza  02/06/2022 15:06
    Brasil volta ao top 10 no ranking de maiores economias do mundo

    País ultrapassou a Rússia, Coreia do Sul e Austrália

    www.poder360.com.br/economia/brasil-volta-ao-top-10-no-ranking-de-maiores-economias-do-mundo

    Grande mídia em silêncio. Clima de velório nas redações.
  • Gilmar  02/06/2022 15:23
    Notícia excelente, mas continuarmos atrás da Itália é dose...
  • Bruno Souza  02/06/2022 16:22
    Questão de tempo. Coisa de um ano.

    Just give it some time...
  • Vinícius  02/06/2022 17:53
    Que pica fizeram no país em 2015, hein? Caramba...

    ibb.co/P6rC44P
  • anônimo  02/06/2022 18:33
    Somente nos gastos da dilmandioca. E sem covid.
  • anônimo  02/06/2022 15:47
    Contínua sendo um país subdesenvolvido, e o crescimento não foi nada demais, mas mostra que o governo está deixando a economia respirar um pouco, acarretando assim em crescimento, melhor do que nada...
  • Felipe  02/06/2022 16:24
    Impressiona o bom desempenho de Taiwan.
  • Bruno Souza  07/06/2022 03:15
    "O resultado da geração de quase 800 mil empregos formais de janeiro a abril de 2022 fez o governo Bolsonaro atingir marca de 3,95 milhões de vagas com carteira assinada desde a posse, se aproximando do total gerado no primeiro governo Dilma.

    A expectativa é de manter o ritmo atual e fechar o mandato com mais de 5 milhões de vagas abertas. Em quatro anos completos, o governo da petista criou 4,76 milhões de empregos. [...] Se mantiver a criação média observada desde maio de 2021, o Brasil chegará em dezembro com 5,85 milhões de vagas criadas em 4 anos."

    Geração de emprego deve superar 1º governo Dilma

    E tudo isso com uma puta de uma pandemia no meio, com lockdown e tudo!

    Absurdamente impressionante.

    E nêgo ainda fala que a reforma trabalhista (que Lula já avisou que vai revogar) não gerou nenhum emprego...
  • André Luis  11/06/2022 14:25
    Na crise econômica de 2015/2016(antes da reforma trabalhista) o tombo econômico foi menor(cerca de 3.5 % ao ano) porem a queda no emprego foi bem maior(cerca de 1.5 milhões de empregos formais eliminados por ano).Em 2020(depois da reforma trabalhista tímida) tombo de 4.1% no pib e cerca de 200 mil empregos formais eliminados de saldo.
  • Felipe  12/06/2022 12:23
    Vermos a queda na taxa de desemprego e vários novos negócios sendo abertos mostra que, mesmo com uma leve desburocratização, o povo brasileiro é um povo trabalhador e empreendedor, sendo capaz de lidar com muitas adversidades.

    Imagina se continuarmos a fazer reformas ainda mais profundas. Será um milagre econômico sul-coreano.
  • Bruno Souza  12/06/2022 22:07
    PIB do Brasil no 1º trimestre fica em 8º em ranking com 32 países

    Crescimento de 1% da economia brasileira ficou acima da média e foi melhor que o de países como Estados Unidos, França e Japão, que registraram retração nos 3 primeiros meses do ano.
  • Daniel Cláudio  18/06/2022 14:51
    Ontem Lula fez uma revelação estupefaciente.

    Os coitadinhos que SEQUESTRARAM o Abílio Diniz fizeram greve de fome e o Lula arquitetou com Renan Calheiros e Fernando Henrique Cardoso a soltura dos "meninos".

    E ele mesmo conta achando que arrasou!

    É sério. Isso é um CUSPE NA NOSSA CARA.

    twitter.com/Metropoles/status/1537955168234352642
  • Bruno Souza  18/06/2022 14:57
    É surreal. Temos um BANDIDO, que também é CEO de narcotráfico, solto e tentando retomar o país.
  • anônimo  18/06/2022 17:05
    Já tem projetos de lei para que o furto deixe ser crime. Pelos aliados dele.

    Que invasão de propriedade deixe de ser crime.

    Tudo pra facilitar pra cumpanheirada.

    Daí se a pessoa reagir dentro da sua propriedade eles alegam cárcere privado.

    Daí é um pulo pra criarem leis que descriminalizam sequestros, caso o sequestrador alegue coisas como estar com "fome".

    Lembrando que levar uma pessoa num caixa eletrônico pra sacar dinheiro também é sequestro.
  • Régis  18/06/2022 17:14
    Eu falo com meu círculo de conhecidos: em um eventual retorno do PT, corrupção será o menor dos problemas.

    Se a pessoa está preocupada com corrupção num eventual governo Lula, então ela está vivendo uma vida deliciosa.

    Também não acredito em venezuelização. Será algo tipo uma argentinização.

    Mas isso também é o de menos.

    O grande problema de um eventual retorno do PT é o sinal que isso estará enviando para a bandidagem de rua,

    Apenas pense: o sujeito comprovadamente roubou bilhões de dinheiro público, foi condenado em três instâncias, e só está solto porque seus processos foram anulados (atenção: ele não foi inocentado; ele foi apenas libertado) pela Suprema Corte cujos integrantes foram praticamente todos nomeados por ele e por seu partido.

    Ou seja, trata-se de um bandido condenado, mas libertado simplesmente porque a Suprema Corte foi toda aparelhada por ele e por seu partido.

    Aí a bandidagem de rua olha para tudo isso e pensa: "Peraí, se o cara roubou bilhões de reais, foi solto e ainda virou presidente, por que então eu não posso roubar um celular? Por que eu não posso assaltar alguém e tomar a carteira? Por que eu não posso sequestrar alguém e levar ao caixa eletrônico?"

    E aí a coisa começa a se proliferar.

    Vai começar nas cidades grandes, como sempre. E aí, com o tempo, vai se espalhar pelo interior.

    Nenhuma família estará a salvo.


    P.S.: olhem as estatísticas do número anual de homicídios e constatem que elas dispararam exatamente durante os governos do PT. Caíram agora. Mas voltarão com tudo, principalmente se o Barba implantar seu já anunciado programa de desarmamento da população (no qual ele será ajudado pelo STF).